Publicidade

Estado de Minas

Detidos em Montenegro 18 deputados opositores pró-Sérvia


postado em 27/12/2019 08:01

Dezoito deputados montenegrinos da oposição pró-Sérvia foram detidos no Parlamento durante incidentes que eles mesmos causaram para impedir a adoção de uma lei, que segundo a Igreja Ortodoxa da Sérvia significará uma pilhagem de mosteiros e igrejas.

A Igreja Ortodoxa Sérvia (CEP), a principal instituição religiosa em Montenegro, possui centenas de mosteiros e milhares de metros quadrados de terras nesta pequena ex-república da antiga Iugoslávia - que se tornou independente da Sérvia em 2006 -, onde 72% dos 620.000 habitantes são ortodoxos.

A lei, adotada por maioria, prevê a nacionalização dos bens que as igrejas não puderem provar que pertenciam a elas antes de 1918. Nesse ano, Montenegro perdeu sua independência e foi integrado ao reino dos sérvios, croatas e eslovenos.

Os 18 deputados da Frente Democrática (FD), que apoiam as posições da Igreja Sérvia sobre esta lei, estão sendo interrogados, segundo a imprensa local.

Antes da detenção, eles ameaçaram, durante os debates, causar incidentes, até mesmo pegar em armas, se a lei fosse aprovada.

Os deputados opositores pediram a seus apoiadores que bloqueassem estradas em todo o país.

Após a rejeição de suas emendas, os deputados do FD lançaram fogos de artifício na sala do Parlamento e garrafas de plástico, vandalizaram os móveis e os microfones e tentaram atacar fisicamente os deputados da maioria, segundo um fotógrafo da AFP presente em o lugar.

Após os incidentes e a detenção dos legisladores, os deputados adotaram a lei por 45 votos a favor.

O primeiro-ministro Dusko Markovic declarou após a aprovação do texto que esperava que não houvesse "radicalização da situação" no país e condenou os fatos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade