Publicidade

Estado de Minas

Queda de ônibus deixa 26 mortos na Tunísia


postado em 01/12/2019 17:55

Ao menos 26 pessoas morreram em um acidente de ônibus neste domingo na Tunísia, em uma região montanhosa popular entre os turistas locais.

Em um balanço provisório fornecido à AFP, o ministério da Saúde informou 26 mortos e 17 feridos, todos de nacionalidade tunisiana.

Um primeiro balanço do ministério do Interior havia informado a morte de 22 pessoas e 21 feridos.

As circunstâncias exatas do acidente não são conhecidas, mas as primeiras imagens do acidente e o elevado número de mortos provocaram medo e críticas ao governo.

O presidente Kais Saied e o primeiro-ministro Youssef Chahed foram ao local do acidente.

Vindo de Túnis e com destino a Ain Draham, o ônibus pertence a uma agência de viagem local e saiu da estrada na região de Ain Snoussi, segundo o ministério do Interior.

As vítimas têm entre 20 e 30 anos, de acordo com os ministérios da Saúde e do Turismo.

Um total de 43 pessoas estavam a bordo deste veículo, que "caiu em um barranco depois de atravessar uma barreira de ferro", explicou em comunicado o ministério do Interior.

Todos os feridos foram levados para hospitais da região e de Túnis, segundo a mesma fonte.

As imagens do acidente foram amplamente compartilhadas nas redes sociais.

Eles mostram cadáveres no chão e um ônibus totalmente destruído.

Uma equipe da AFP no local viu poltronas espalhadas, vestígios de sangue, tênis e outros objetos no leito de um pequeno rio, localizado abaixo.

Em declaração a uma rádio local, o ministro do Turismo René Trabelsi apresentou suas condolências às famílias das vítimas, evocando um "infeliz acidente em uma área difícil". Segundo o ministro, o ônibus saiu da estrada e caiu "numa curva".

A região montanhosa de Ain Draham, perto da fronteira com a Argélia, é um destino popular entre os tunisinos.

No entanto, muitas infraestruturas são deficientes, incluindo as estradas. A mortalidade nas estradas na Tunísia, país de 11 milhões de habitantes, é alta.

No final de abril, 12 pessoas, incluindo sete mulheres transportadas na traseira de uma caminhonete, morreram em um acidente em Sabala, na região de Sidi (centro). As vítimas tinham entre 18 e 30 anos.


Publicidade