Publicidade

Estado de Minas

Operações de resgate são encerradas após terremoto que fez 50 mortos na Albânia


postado em 30/11/2019 10:43

O balanço do terremoto que atingiu a Albânia esta semana subiu para 50 mortos e as operações de resgate terminaram, anunciou neste sábado o primeiro-ministro Edi Rama, que agradeceu às equipes de socorro que vieram do exterior, incluindo da França.

"O número de vítimas do terremoto chegou a 50 e as operações de resgate terminaram", disse Rama, que lutou para conter as lágrimas quando leu os nomes das vítimas em uma reunião de governo.

Em relação aos feridos, segundo o ministério da Defesa, cerca de 900 pessoas receberam atendimento médico e 41 delas ainda estão hospitalizadas.

Rama expressou sua "profunda gratidão" às equipes de socorristas da Albânia e de outros países europeus que ajudaram a salvar cerca de 50 pessoas dos escombros.

O primeiro-ministro visitou os socorristas franceses na sexta-feira em Durres.

"Duas semanas atrás, os campeões mundiais do futebol estavam na Albânia e foi a festa do esporte", tuitou em francês, referindo-se a uma partida classificatória para a Euro-2020. "Duas semanas depois, uma tragédia da vida desaba sobre nós e os campeões mundiais no salvamento de vidas estão na Albânia. Somos eternamente gratos".

Seu tuite foi acompanhado por uma foto com os socorristas franceses.

O terremoto que ocorreu na madrugada de terça-feira foi de magnitude 6,4, o mais poderoso em quase um século neste pequeno país dos Balcãs.

As cidades de Durres, localidade turística de 400.000 habitantes na costa do Adriático, e de Thumane, ao norte de Tirana, foram duramente atingidas. Na capital Tirana, nenhuma morte foi registrada, mas o terremoto danificou cerca de 70 edifícios e 250 casas.

O primeiro-ministro prometeu novas moradias para todas as famílias afetadas até 2020.

O funeral de oito membros da família Lala, incluindo quatro crianças, que morreram em Durres, será realizado neste sábado.

Apenas um membro da família, Rame Lala, sobreviveu ao desabamento do prédio de quatro andares onde vivia.

Gravemente ferido, o jovem de 19 anos foi transportado para a Itália para tratamento, assim como outros dois feridos.

A Albânia, um país de 2,8 milhões de habitantes, é conhecida por seu urbanismo selvagem, com casas geralmente construídas sem permissão.


Publicidade