Publicidade

Estado de Minas

Morreu o último rinoceronte de Sumatra que restava na Malásia


postado em 24/11/2019 11:07

O último espécime de rinoceronte de Sumatra vivo na Malásia, uma fêmea chamada Iman, morreu em uma reserva natural na ilha de Bornéu em decorrência de um câncer, informaram neste domingo fontes do Departamento de Vida Selvagem.

O diretor desse departamento, Augustine Tuuga, disse à AFP que o animal, de cerca de 25 anos, "começou a sofrer fortes dores devido à pressão dos tumores".

"Acredito que podemos confirmar que o rinoceronte de Sumatra está extinto na Malásia", lamentou.

Na mesma reserva, o último espécime masculino do rinoceronte de Sumatra, chamado Tam, morreu em maio deste ano.

O rinoceronte de Sumatra (Dicerorhinus sumatrensis) viveu em algum momento em um território que cobria do leste da Índia até o final da Malásia, embora atualmente seja estimado que apenas cerca de 80 espécimes estejam vivos, um punhado deles na Indonésia.

John Payne, diretor executivo da Aliança de Bornéu para os Rinocerontes, disse que a população de rinocerontes de Sumatra foi fortemente afetada pelas mudanças climáticas, crescente escassez de vegetação e caça motivada pela medicina tradicional chinesa.

O rinoceronte de Sumatra é o menor da família desses animais, com um peso que varia entre 600 e 800 kg (sendo que um rinoceronte branco adulto pode exceder três toneladas).

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade