Publicidade

Estado de Minas

Governo interino da Bolívia acerta diálogo com manifestantes


postado em 22/11/2019 23:13

O governo interino da Bolívia e os setores da oposição vão iniciar um diálogo neste sábado para "pacificar o país" após um mês de violenta crise, que deixou até o momento 32 mortos, anunciou o ministro das Obras Públicas, Yerko Núñez.

"Às quatro da tarde (17H00 de Brasília), estamos começando a dialogar para pacificar o país", disse o porta-voz oficial em comunicado à imprensa.

Núñez afirmou que há um acordo com todas as forças envolvidas nos protestos - que se seguiram à renúncia e ao asilo de Evo Morales - visando uma saída emergencial para a crise.

"Amanhã instalamos o diálogo para ter o país 100% sem bloqueios, pacificado e de volta à normalidade", destacou o funcionário.

Segundo o responsável, as conversações ocorrerão no Palácio Quemado (sede presidencial) e contarão com "todas as organizações que estão mobilizadas".

"Há grande disposição para solucionar e encerrar este tema da melhor maneira", disse Núñez.

A Bolívia passa por sua pior crise em 16 anos, após as eleições gerais de 20 de outubro.

Com 13 anos no poder, Morales foi proclamado vencedor das eleições, mas a oposição denunciou fraude na apuração e a onda de protestos que se seguiu, com o apoio das forças armadas, levou à renúncia do presidente.

Asilado no México, Morales denuncia que foi vítima de um golpe de Estado, e seus partidários ocupam agora as ruas para protestar contra o governo interino de Jeanine Áñez.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade