Publicidade

Estado de Minas INTERNACIONAL

Aiatolá diz que manifestantes contra aumento da gasolina no Irã são "bandidos"


postado em 17/11/2019 10:55

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, mostrou apoio à decisão do governo iraniano de aumentar os preços da gasolina. Khamenei afirmou que manifestantes que estão ateando fogo a propriedades públicas são "bandidos". Autoridades do país confirmaram neste domingo as mortes de ao menos duas pessoas desde o início dos protestos.

Em um discurso transmitido pela televisão estatal, Khamenei disse que "alguns perderam suas vidas e lugares foram destruídos", sem dar detalhes. Ele disse ainda que os manifestantes violentos são "bandidos" estimulados por contrarrevolucionários e inimigos estrangeiros. Ele citou aliados da família do Xá, deposto há 40 anos, e a Organização dos Mujahidin do Povo Iraniano.

Khamenei pediu que as forças de segurança "façam seu trabalho", e que os cidadãos iranianos tenham clareza sobre a presença de manifestantes violentos. O Ministério da Inteligência do Irã afirmou ter identificado "perpetradores das manifestações dos últimos dois dias", e que "ações apropriadas estão em curso".

Uma série de protestos acontece em dezenas de cidades iranianas desde sexta-feira, dia em que entrou em vigor um aumento de 50% nos valores do combustível, que são controlados pelo governo. Em cidades como a capital, Teerã, motoristas abandonaram os carros em vias movimentadas para se juntar ao manifestantes. Em alguns casos, houve incêndios e tiroteios.

Com o reajuste ordenado pelo governo do presidente Hassan Rouhani, os preços passaram a ter um piso de 15.000 rials, o equivalente a US$ 0,13 por litro. O governo derrubou a internet do país para tentar conter as manifestações.


Publicidade