Publicidade

Estado de Minas

Milhares de pessoas abandonam suas casas por novos incêndios na Califórnia


postado em 31/10/2019 22:37

Os bombeiros lutam sem parar contra vários incêndios ativos nesta quinta-feira (31) na Califórnia, e embora alguns estejam aparentemente controlados, muitos moradores tiveram que abandonar suas casas e foram registradas quedas de energia.

Atiçados pelos fortes ventos, dois novos incêndios foram declarados na manhã desta quinta-feira perto de Los Angeles, queimando vários imóveis e forçando a saída às pressas dos moradores.

Um deles, chamado de "Hillside", se estendia em San Bernardino, cerca de 100 km a leste de Los Angeles, enquanto o outro, o "46", estalava no vizinho Condado de Riverside.

Centenas de bombeiros apoiados por helicópteros-tanque combateram os incêndios que ganharam força pelos chamados "ventos de Santa Ana", que geraram advertências inéditas de emergência de risco de incêndio "extremamente crítico" - a categoria mais alta na escala.

O Serviço Meteorológico Nacional informou que, embora os alertas vermelhos continuem em vigor durante toda a quinta-feira na área de Los Angeles e Ventura, as condições melhoraram.

"Os ventos estão um pouco mais fracos agora do que na maioria das áreas, o que é uma boa notícia para os bombeiros", divulgou so serviço meteorológico.

No norte da Califórnia, os bombeiros registraram progressos significativos contra o enorme incêndio "Kincade", que teve início em 23 de outubro e devastou o condado de Sonoma, a região vinícola ao norte de São Francisco.

Esse incêndio, o maior da temporada, destruiu até agora 300 casas e outras propriedades, incluindo várias vinícolas, numa área de 31 mil hectares. No momento, 60% das chamas estão controladas.

A ordem de evacuação foi cancelada nesta quinta e dezenas de milhares de residentes podem voltar a seus lares.

- "Muitas ameaças" -

Enquanto isso, os bombeiros ainda estavam combatendo o incêndio "Easy" em Simi Valley, no noroeste de Los Angeles, que começou na quarta-feira e chegou perigosamente perto da Biblioteca Presidencial Ronald Reagan, que não foi atingida.

Cerca de 30 mil pessoas foram forçadas a abandonar a região quando as chamas surgiram no meio da noite, alimentadas por rajadas de vento de até 112 km / hora.

Mais de 700 bombeiros estavam combatendo esse incêndio apoiados por helicópteros e aviões-tanque.

Até o momento não está clara a origem do "Easy", mas a empresa de fornecedora de eletricidade do sul da Califórnia, Edison, informou que teria começado perto de uma das linhas de energia que não foram deligadas.

A Edison, assim como outras empresas de energia da Califórnia, cortou linhas de transmissão para centenas de milhares de usuários para reduzir a possibilidade de curtos-circuitos.

Segundo o Corpo de Bombeiros do Condado de Ventura, o incêndio "Easy" queimou até o momento 700 hectares e apenas 10% dele estava controlado.

O governador de California, Gavin Newsom, declarou emergencia em todo o estado para garantir fundos de assistência.

A temporada de incêndios provoca regularmente destruição na Califórnia, mas a frequência de incêndios aumentou significativamente nos últimos anos. Em novembro de 2018, o estado registrou um dos incêndios mais mortais de sua história, que provocou a morte de 86 pessoas e a fuga de milhares de pessoas.

Este ano não foram registradas vítimas fatais nos incêndios.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade