Publicidade

Estado de Minas

Museu Getty de Los Angeles, uma bela fortaleza à prova de incêndio


postado em 31/10/2019 14:25

Encravado nas montanhas de Santa Monica, o Museu Getty se encontra em uma área propensa a incêndios florestais, mas sua coleção inestimável não poderia estar mais segura do que nesta bela fortaleza à prova de fogo.

Era madrugada de segunda-feira, e os seguranças ouviram os chamados dos bombeiros: era um incêndio e estava muito perto de suas instalações.

Batizando de "Getty", o incêndio cresceu em questão de horas e obrigou a retirada de estrelas, como LeBron James e Arnold Schwarzenegger, de uma exclusiva zona residencial nesta área.

Apesar das chamas - que se estenderam por cerca de 300 hectares - e da fumaça, as autoridades do museu nunca consideraram transferir seu acervo de 125 mil obras de arte e 1,4 milhão de documentos. Muitos deles são únicos.

"Nossas obras estão incrivelmente seguras", disse à AFP sua vice-presidente de Comunicações, Lisa Lapin.

"O Getty foi construído para abrigar valiosas peças de arte e mantê-las a salvo de incêndios, terremotos, de qualquer tipo de dano", completou.

O arquiteto Richard Meier construiu esta "charmosa fortaleza", como Lapin a define, há duas décadas. O custo foi de US$ 1 bilhão. Com cerca de mil funcionários, o Getty Center conta ainda com um centro de pesquisa e uma fundação.

O prédio é composto de materiais como o travertino, um tipo de rocha calcária extremamente resistente ao fogo, assim como de concreto e aço.

O teto tem pedra triturada, de modo que uma brasa não consegue se incendiar. Os jardins também foram pensados de modo a retardar o fogo.

As galerias são compartimentadas com uma porta dupla praticamente impenetrável como uma abóboda.

- Sistema de ventilação -

Era de madrugada, e o Getty estava vazio. O primeiro passo dentro do protocolo foi ativar o sistema de rega, usando seu tanque de 3,7 milhões de litros de água, nos jardins projetados "para minimizar o fogo".

Também se mudou o sistema de ventilação para evitar a entrada de fumaça nas salas.

No momento, o Getty mantém uma exposição especial de Edouard Manet. Lisa contou que alguns dos proprietários das obras expressaram preocupação com a situação. Rapidamente ficaram tranquilos, garante ela, ao serem apresentados às condições de segurança neste edifício, no qual foram usados 300.000 blocos de travertino (o correspondente a 42.000 toneladas) e 12.500 toneladas em barras de aço.

Lisa Lapin não tem um registro histórico de quantos incêndios ameaçaram o Getty.

Há dois anos, um incêndio, batizado de "Skirball" por sua proximidade com outro centro cultural com esse nome, obrigou a fechar a ventilação.

"O fogo estava do outro lado da autoestrada e não estava tão perto como este. Não foi na nossa propriedade. Mas, em ambos os casos, estávamos muito seguros de que o centro estaria bem", afirmou Lisa.

Segundo ela, o museu foi visitado por representantes de outros países para copiar seu sistema de segurança.

O museu, que serviu de base para os bombeiros, estará fechado até sexta-feira pelo menos.

Contido em 27%, o incêndio "Getty" foi causado por um galho que caiu em uma central elétrica da cidade, gerando as faíscas que começaram as chamas.

O prefeito de Los Angeles, Eric Garcetti, classificou-o como um "ato de Deus" e disse esperar que esteja totalmente controlado muito em breve.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade