Publicidade

Estado de Minas

Confronto entre população e governo continua no Líbano


postado em 26/10/2019 11:19

O confrontos entre a população nas ruas e o poder se mantém neste sábado no Líbano, com o risco de que a atitude ameaçadora do poderoso Hezbollah pró-Irã faça os manifestantes voltarem atrás em seu pedido de que o regime deixe o poder.

A principal via que une a capital ao resto do país continua bloqueada. A polícia antidistúrbios observa sem se manifestar.

Dezenas de membros do Hezbollah atacaram, nesta sexta, os manifestantes reunidos no coração de Beirute. Os confrontos deixaram vários levemente feridos e levaram a polícia a intervir.

Desde o início deste movimento popular inédito, em 17 de outubro, os manifestante expressaram sua revolta pela falta de garantia de água, eletricidade e cuidados médicos gratuitos, 30 anos após o fim da guerra civil.

A classe política, quase inalterada desde então, decide os rumos de um Estado em decadência, classificado como um dos mais corruptos do planeta.

Nas redes sociais, foram feitas convocações para organizar uma corrente humana gigante neste domingo, que iria de Trípoli a Tiro, uma distância de 170 km. Seria necessário mobilizar pelo menos 100 mil pessoas, segundo estimativas.

A imprensa apota que as negociações para uma reorganização ministerial estão paradas.

O Exército, que é a única instituição que sobreviveu ao desprezo geral da população, agora desempenha um papel crucial. Os soldados tentaram levantar as barricadas, mas no fim confraternizaram com os manifestantes, que ofereciam flores aos agentes de segurança.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade