Publicidade

Estado de Minas

Milhares de pessoas são evacuadas por incêndios na Califórnia


postado em 11/10/2019 16:37

Grande parte da Califórnia se encontra em alerta máximo, nesta sexta-feira (11), devido aos grandes incêndios que atingem o sul dos Estados Unidos.

Segundo informações da imprensa local, uma senhora de 89 anos morreu em Calimesa, a pouco mais de 100 quilômetros ao leste de Los Angeles, quando o fogo arrasou um estacionamento de trailers na madrugada.

Dezenas de construções já foram destruídas, e milhares de pessoas, evacuadas, nesta sexta, em Los Angeles.

Um incêndio foi declarado em um bairro do norte desta cidade californiana em torno das 21h de quinta-feira (1h desta sexta) e se espalhou rapidamente por cerca de 1.900 hectares durante a noite, alimentado pelos ventos quentes próprios deste estado do oeste dos Estados Unidos, assim como pela seca dos solos.

"As pessoas têm que ir embora, enquanto ainda podem fazer isso", convocou o chefe da Polícia de Los Angeles, Michel Moore, em entrevista coletiva, acrescentando que cerca de 200 policiais foram mobilizados para garantir o cumprimento das ordens de retirada que afetam pelo menos 30.000 habitantes.

As autoridades abriram alojamentos de emergência para acolher os evacuados. Cerca de 100.000 pessoas foram afetadas pelas chamas, segundo os bombeiros de Los Angeles.

Há pelo menos mil bombeiros combatendo o incêndio, classificado como "grande emergência" pelas autoridades, anunciou o chefe do Departamento de Bombeiros de Los Angeles, Ralph Terrazas, acrescentando que várias estradas foram fechadas parcialmente.

Essas condições perigosas vão durar pelo menos até o final desta sexta, alertaram os serviços meteorológicos americanos (NWS, na sigla em inglês). Os ventos, que podem passar de 100 km/h, colocam as árvores e a fiação elétrica nas ruas em risco.

As emissoras de televisão locais divulgaram imagens impressionantes de chamas perto de casas e estradas.

- Cortes de luz -

Outro incêndio foi declarado a cerca de 115 quilômetros ao leste de Los Angeles. Lá, um helicóptero e mais de 200 bombeiros lutavam contra as chamas que destruíram ao menos 74 imóveis, informaram os bombeiros em sua página institucional on-line.

Não há informações de vítimas neste segundo incêndio.

"A luz que nos cercava era de um laranja tão vivo, que era como se (o fogo) estivesse no nosso jardim", relatou um morador ao canal local KTLA 5.

Na quarta à noite, a companhia americana de energia PG&E; anunciou o corte de luz de centenas de milhares de clientes perto de San Francisco e no norte da Califórnia diante do risco de incêndios.

A empresa restabeleceu a energia para metade dos clientes afetados nesta madrugada, mas mais de 300.000 seguem sem luz.

No ano passado, em novembro, três enormes incêndios no norte e no sul do estado arrasaram mais de 100.000 hectares.

Um deles, o "Camp Fire", deixou mais de 80 mortos e quase varreu do mapa a pequena cidade de Paradise, de 20.000 habitantes.

Em maio, a agência californiana de proteção contra os incêndios determinou que as linhas elétricas da PG&E; estavam na origem dessa catástrofe.


Publicidade