Publicidade

Estado de Minas

Halle, a cidade alemã abalada pelo ataque contra a sinagoga local


postado em 09/10/2019 15:01

Ruas desertas, transporte público suspenso, a população em estado de choque: a cidade de Halle, no leste da Alemanha, ficou abalada após uma tentativa de ataque e um tiroteio em uma sinagoga que causou pelo menos dois mortos e deixou dois feridos graves, em pleno Yom Kipur, o dia do perdão judaico.

Policiais fortemente equipados foram mobilizados na cidade, da antiga RDA e que conta com cerca de 240.000 habitantes, enquanto a população foi convidada a ficar em casa e fechar portas e janelas.

Ao redor da sinagoga e do restaurante de kebabs (sanduíche com diferentes carnes, típico de vários países da bacia do Mediterrâneo) alvejados, a população seguia impactada.

A cidade esteva muito perto de ser palco de uma autêntica carnificina, já que entre 70 e 80 judeus fiéis estavam dentro do templo religioso para celebrar o Yom Kipur quando o ataque ocorreu.

- Capacete de aço -

"Vimos pela câmera de segurança de nossa sinagoga que um agressor fortemente armado, com um capacete de uma rifle, tentava empurrar nossas portas", contou o presidente da pequena comunidade judaica de Halle, Max Privorotzki, ao jornal Stuttgarter Zeitungel.

O líder, à frente de uma comunidade ortodoxa de 555 membros, comemorava o feriado mais importante do calendário judaico quando os atiradores (pelo menos duas pessoas, de acordo com as imagens de um vídeo amador que circula na Internet) tentaram entrar na sinagoga no bairro de Paulus, sem sucesso.

"Nós protegemos as portas e esperamos pela polícia", continuou Privorotzki.

"Enquanto isso, seguimos celebrando nosso serviço religioso", disse ele serenamente, no edifício que acolhe muitos judeus da antiga União Soviética.

Dizimada pelo Shoah (Holocausto), a comunidade judaica alemã foi renovada com a chegada, na década de 1990, de muitos judeus do antigo bloco soviético.

O autor ou autores também tentou atirar na porta do cemitério judeu adjacente.

Um restaurante turco de kebabs, localizado a cerca de 600 metros da sinagoga, também foi alvejado. Esse ataque foi planejado pelos atiradores ou atacaram o local por não poderem entrar na sinagoga?

- Granada -

Um cliente do lugar, Conrad Rössler, entrevistado pelo canal de notícias n-tv, estava dentro do restaurante de fast-food quando um atirador "jogou uma granada".

"A granada bateu na porta e explodiu", contou Rössler, ainda muito tenso.

"O cara atirou pelo menos uma vez na loja e o homem sentado atrás de mim morreu. Eu me escondi no banheiro e tranquei a porta", acrescentou.

Em Halle, localizada a menos de 200 km a sudoeste de Berlim, a circulação de bondes e ônibus foi suspensa por algumas horas, enquanto crianças em idade escolar foram enviadas para suas casas, muitas na cidade vizinha de Leipzig.

Em várias cidades do país, como Leipzig, Dresden, e também Berlim e Frankfurt, a segurança foi reforçada perto de sinagogas e outros edifícios da comunidade judaica, como escolas ou centros culturais.

Desde o final da Segunda Guerra Mundial, existem na Alemanha medidas especiais para proteger os estabelecimentos judaicos.

"Meus pensamentos e orações são para vocês, meus queridos judeus", tuitou o presidente do Conselho Muçulmano Central da Alemanha, Aiman Mazyek.


Publicidade