Publicidade

Estado de Minas

Justiça alemã decreta prisão de sírio que atropelou oito com caminhão


postado em 08/10/2019 16:55

A justiça alemã decretou nesta terça-feira (8) a prisão preventiva por "tentativa de homicídio" contra um sírio que feriu oito pessoas, atingindo-as com um caminhão roubado em Limburg (oeste).

O Ministério Público de Frankfurt anunciou a abertura de uma investigação sobre a ação do sírio de 32 anos, que ficou ferido e foi preso imediatamente após a colisão.

"As investigações no contexto deste ato continuam" e "por enquanto nenhuma informação sobre seus celulares pode ser fornecida", disseram a Polícia e o Promotor em uma declaração conjunta, afirmando que eles investigam "em todas as direções".

Embora eles não excluam formalmente a pista de um atentado, indicado por vários veículos de mídia, até momento nenhum elemento foi coletado nesse sentido. A Procuradoria Antiterrorista informou à agência alemã DPA que, por enquanto, não via nenhuma razão para investigar o caso.

A Polícia fez uma ação de busca e apreensão em duas casas na noite de segunda-feira no bairro onde o suspeito reside, perto do local da colisão. Foram apreendidos telefones celulares e pendrives.

- Sem vínculo islamita -

Segundo "fontes próximas aos serviços de segurança", citadas pela DPA, o motorista do caminhão roubado chegou à Alemanha em 2015, em meio ao fluxo de centenas de milhares de pessoas que fogem da guerra e da miséria.

Ele não estava armado durante os eventos, de acordo com a Polícia e o Ministério Público, e "até agora não foi estabelecido seu possível vínculo com meios islâmicos que desejem realizar ações violentas", disse o ministro regional do Interior, Peter Beuth, em outro comunicado.

Depois de se beneficiar do status de refugiado provisório, ele estava em uma situação irregular desde 1º de outubro de 2019, segundo o semanário Der Spiegel. Ele também tinha antecedentes criminais por causa de uma briga com membros de sua família em 2008 e por ter sido preso pela posse de 2,9 gramas de haxixe.

Na segunda-feira, às 17h20, o indivíduo tirou violentamente o motorista do caminhão da cabine em pleno centro da cidade, assumiu o controle do veículo e "sem frear" bateu em sete carros e uma van que estavam esperando diante de um sinal vermelho em frente ao tribunal de Limburgo.

O acidente deixou nove feridos sem gravidade, incluindo o sírio.

Questionado pelo jornal Frankfurter Neue Presse, o motorista do caminhão disse ter visto um homem na casa dos trinta anos, com barba e cabelos raspados, olhos "fixos e talvez sob a influência de drogas", abrir a porta do veículo e tirá-lo dali sem dizer uma palavra.

- Alerta desde 2016 -

"Perguntei a ele: 'O que você quer de mim?' Mas ele não disse uma palavra. Fiz a pergunta novamente e ele me tirou do caminhão", disse o homem, funcionário de uma empresa de logística, que depois atropelou o veículo.

Testemunhas disseram ao jornal que, após a colisão, a algumas centenas de metros de distância, o suspeito, com o nariz e as mãos cheias de sangue, foi preso por um grupo de corredores.

Algumas pessoas relataram que ele pronunciou a palavra "Alá" várias vezes, de acordo com o Frankfurter Neue Presse. A polícia não confirmou nenhum desses elementos.

Perguntado sobre um possível ataque terrorista nesta cidade de 35.000 habitantes, perto de Frankfurt, a capital financeira da Alemanha, o ministro do Interior alemão Horst Seehofer disse que não poderia "dizer nada neste momento (sobre a investigação) nem como esse ato deve ser qualificado".

As autoridades alemãs estão em alerta após ataques jihadistas nos últimos anos. O mais violento deles foi em dezembro de 2016, quando o tunisiano Anis Amri matou 12 pessoas, em um mercado de Natal em Berlim com um caminhão roubado.


Publicidade