Publicidade

Estado de Minas

Forever 21 declara falência, mas manterá operações em EUA e América Latina

A empresa, que prevê uma retirada do mercado asiático e europeu, é a última vítima de redes com lojas físicas forçadas a se reestruturar antes do surgimento do comércio on-line


postado em 30/09/2019 20:19 / atualizado em 30/09/2019 21:20

(foto: Frederic J. BROWN / AFP )
(foto: Frederic J. BROWN / AFP )
A empresa americana de moda Forever 21 entrou com um pedido de falência em uma corte dos Estados Unidos para facilitar um processo de reestruturação, que não afetará suas operações na América Latina.


A empresa, que prevê uma retirada do mercado asiático e europeu, é a última vítima de redes com lojas físicas forçadas a se reestruturar antes do surgimento do comércio on-line.


"É um passo necessário e importante para garantir o futuro da empresa, o que nos permitirá reorganizar os negócios e reposicionar o Forever 21", disse a vice-presidente Linda Chang em comunicado.


O pedido de proteção contra a falência conhecido como 'Capítulo 11' é "um passo deliberado e decisivo para nos colocar em uma via de sucesso no futuro", afirmou a empresa em comunicado.


A empresa iniciou um processo semelhante no Canadá. Para facilitar sua reestruturação, recebeu financiamento de US $ 275 milhões para manter suas operações normalmente e reduzir em tamanho algumas de suas lojas.


"Estamos confiantes de que emergiremos como uma empresa mais forte, mais competitiva e melhor posicionada para prosperar nos próximos anos, e continuamos comprometidos em fornecer as tendências de moda rápida que nossos clientes esperam", disse Chang.


Fundada em Los Angeles em 1984 pelo casal sul-coreano Do Won e Jin Sook Chang, a Forever 21 se tornou uma das lojas favoritas das adolescentes nos Estados Unidos, ao oferecer roupas similares às de grandes marcas de moda a preços acessíveis.


Competindo com empresas como H&M e Zara, a rede iniciou uma expansão agressiva no setor de roupa masculina e calçados após a crise econômica de 2008. A empresa aumentou o número de lojas a 800 em todo o planeta.


O plano de reestruturação contempla agora o fechamento de 350 desses pontos de venda no mundo todo, incluindo 178 nos Estados Unidos.


"Esperamos que um número significativo dessas lojas continuem abertas e operando normalmente, pois não esperamos sair de nenhum dos maiores mercados nos Estados Unidos", apontou a empresa, que no começo do mês anunciou que fecharia seus 14 pontos de venda no Japão no final de outubro.


"A reestruturação de Forever 21 se concentrará em maximizar o valor de nossa presença nos Estados Unidos, no México e na América Latina. O mercado latino-americano não será afetado pela declaração de hoje nos Estados Unidos", acrescentou o texto enviado nesta segunda-feira à AFP.


A Forever tem operações em grandes mercados latino-americanos como Brasil e México. Também tem lojas em países como Colômbia, Chile, Equador, Peru, Uruguai, Paraguai e Bolívia, assim como em Porto Rico, Costa Rica, Guatemala, República Dominicana, Honduras, Panamá e El Salvador.


Analistas consideram que a Forever 21 falhou no momento de reagir ao avanço das vendas online, assim como ao impacto da mudança de atitude dos consumidores pelo impacto no meio ambiente das redes 'fast fashion' e sua preocupação com as condições de trabalho nas fábricas que elaboram seus produtos.


 


Publicidade