Publicidade

Estado de Minas

EUA enviará reforços à Arábia Saudita


postado em 21/09/2019 00:49

Os Estados Unidos enviarão reforços militares, a pedido da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes Unidos, após os ataques contra instalações de petróleo sauditas atribuídos ao Irã, anunciou nesta sexta-feira o secretário de Defesa, Mark Esper.

"Em resposta a um pedido do reino, o presidente aprovou o envio de forças americanas, que vão atuar de forma defensiva", disse Esper em entrevista coletiva.

O Pentágono não detalhou o contingente que será enviado, mas o qualificou de "moderado".

No dia 14 de setembro, o campo petroleiro de Jurais, no leste da Arábia Saudita, sofreu quatro ataques, que foram reivindicados pelos rebeldes huthis do Iêmen, mas Riad e Washington afirmam que a ação partiu do Irã.

"Para impedir uma escalada futura, a Arábia Saudita pediu apoio internacional para proteger infraestruturas críticas do reino. Os Emirados também pediram assistência", disse Esper.

Nesta sexta-feira, os Estados Unidos anunciaram novas sanções contra o Irã, qualificando-as como "as maiores" já impostas a um país.

O departamento americano do Tesouro informou que o Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (Ofac) tomou medidas contra o Banco Central do Irã e contra o Fundo Nacional de Desenvolvimento do Irã.

"O ataque descarado do Irã à Arábia Saudita é inaceitável", afirmou o secretário do Tesouro, Steven T. Mnuchin. Segundo ele, essas sanções miram em mecanismos cruciais de financiamento da Força Qods, uma unidade dos Guardiões da Revolução encarregada das operações exteriores, o Hezbollah e outros grupos.

O Irã nega estar por trás dos ataques reivindicados pelos rebeldes huthis, um grupo xiita combatido por uma coalizão liderada pela Arábia Saudita, que apoia o governo iemenita na guerra civil.

Nesta sexta-feira, o presidente do Conselho político dos huthis, Mehdi Machat, anunciou "o fim de todos os ataques contra o território da Arábia Saudita", e que espera que "este gesto tenha como resposta um gesto ainda mais forte" por parte de Riade em direção à paz.


Publicidade