Publicidade

Estado de Minas ABUSO SEXUAL

Vaticano envia casos à Justiça


postado em 18/09/2019 04:00

Vaticano – O promotor de Justiça do Vaticano pediu a abertura de inquérito na Justiça contra o padre Gabriele Martinelli "sob a acusação de abusos sexuais", que teriam sido cometidos no seminário Pio X antes de 2012, e o padre Enrico Radice "por cumplicidade", anunciou ontem a Santa Sé. "A investigação foi aberta em 2017 após a divulgação de informações na imprensa", acrescentou a Santa Sé em um comunicado. Os fatos ocorreram quando Martinelli era seminarista e Enrico Radice, reitor do seminário Pio X, destacou a fonte. O Vaticano acrescentou que o encaminhamento do caso para a Justiça foi decidido "nos dias 16 e 17 de setembro".

Ordenado sacerdote em 2017, Martinelli era seminarista e tinha 21 anos quando ocorreram os supostos crimes.

O seminário Pio X está localizado dentro do Vaticano, a poucos passos da residência de Santa Marta, onde vive o papa. O seminário forma menores que exercem funções de coroinhas na basílica de São Pedro e em cerimônias papais. Segundo a imprensa italiana, um dos seminaristas, companheiro de quarto de uma das vítimas, afirma ter testemunhado dezenas de agressões sexuais.

Com outros dois seminaristas, ele denunciou o suposto agressor pessoalmente aos superiores do seminário, depois por escrito. Depois de um ano de 2018 caracterizado pela revelação de uma série de escândalos de abuso sexual do clero, especialmente nos Estados Unidos e no Chile, o papa tomou várias medidas para combater os abusos sexuais.


Publicidade