Publicidade

Estado de Minas

Crise de indigência está 'destruindo' cidades da Califórnia, alerta Trump


postado em 17/09/2019 19:19

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, alertou sobre a crise de indigência na Califórnia e garantiu que cidades como Los Angeles e São Francisco correm risco de "destruição" e de perder seu "prestígio".

O presidente, que faz uma visita de dois dias ao estado para cumprir compromissos de campanha à reeleição, informou que criará um "equipe especial" para abordar o tema.

"Não podemos deixar que várias cidades como Los Angeles e São Francisco destruam a si mesmas por permitir o que está ocorrendo", disse Trump a jornalistas a bordo do avião presidencial a caminho de Palo Alto, primeira escala de uma visita de dois dias na qual participará de eventos para arrecadar fundos para sua campanha à reeleição.

"Estamos analisando (a situação) seriamente. Falei com o secretário (de habitação e Desenvolvimento Urbano, Ben) Carson sobre projetos de moradia", destacou. "Mas temos pessoas vivendo em nossas melhores rodovias, melhores ruas, nossos melhores acessos a edifícios, onde os proprietários pagam altos impostos devido ao prestígio dessas localizações".

"Em muitos casos, eles vieram de outros países e se mudaram para Los Angeles ou São Francisco pelo prestígio da cidade", reiterou. "E de repente eles tem barracas, centenas e centenas de barracas e pessoas que moram na entrada de escritórios... As pessoas em São Francisco estão cansadas, em Los Angeles estão cansadas. E estamos vendo isso e faremos algo a respeito. "

O presidente, que também tem eventos agendados em Beverly Hills e San Diego, já se referiu como "nojento" sobre o "problema da miséria" neste estado rico e populoso, bastião dos democratas que fazem oposição a seu governo.

Assessores econômicos de Trump publicaram em setembro um relatório que destaca "décadas de políticas erradas" para se enfrentar esta crise que, na Califórnia, estima-se que afete cerca de 130 mil pessoas, das quais 59 mil estariam apenas no condado de Los Angeles.

Apesar dos bilhões investidos pelas autoridades locais, a Califórnia, quinta economia do mundo, tem sido incapaz de resolver o problema.

O governador Gavin Newsom e uma coalizão de prefeitos, democratas e republicanos, divulgaram uma carta ao presidente na qual pedem a ele "faça mais para abordar o problema".


Publicidade