Publicidade

Estado de Minas

Governo libera FGTS para aquecer economia


postado em 24/07/2019 19:25

O governo de Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira a liberação parcial do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço para aquecer a economia com cerca de 42 bilhões de reais entre 2019 e 2020.

Em cerimônia no Palácio do Planalto, Bolsonaro firmou a medida com a qual espera obter um crescimento econômico adicional de 0,35 ponto em doze meses.

Em dez anos, se espera que a medida ajude a criar três milhões de empregos, com um incremento de 2,5 pontos do PIB per capita.

Segundo Bolsonaro, a medida deverá "acelerar a recuperação" da economia, estimular o consumo das famílias e a atividade econômica do país.

"Estamos dando mais liberdade ao trabalhador para decidir o que fazer com o seu dinheiro", disse o presidente.

Cada trabalhador poderá retirar este ano até 500 reais e um percentual anual variável a partir de 2020 do FGTS.

O valor será ampliado com a liberação parcial de outro fundo de amparo aos trabalhadores: PIS/Pasep.

Em 2017, o então presidente Michel Temer liberou o saque das contas inativas do FGTS.

- "Dinheirinho" para o consumo -

"A gente está facilitando muita coisa emergencial, porque a nossa economia não vai bem. Se bem que já está dando sinais de recuperação e acho que dá para a gente ajudar bastante no corrente ano e entrar um dinheirinho no comércio", declarou Bolsonaro.

A medida pretende dar um impulso a uma economia que após dois anos de recessão (2015-2016) cresceu apenas 1,1% em 2017 e 2018, com 13 milhões de desempregados.

Na terça-feira, o Fundo Monetário Internacional (FMI) revisou a previsão de crescimento do Brasil para 2019 de 2,1% para 0,8%.

Para o Estrategista-Chefe do Grupo Laatus, Jefferson Laatus, "a medida denota o interesse em estimular a economia brasileira, o problema é a limitação do saque, o que não impacta o PIB como esperado".

"Terá um reflexo, mas não muito importante".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade