Publicidade

Estado de Minas

Premiê israelense critica UE por tentar salvar acordo nuclear com Irã


postado em 15/07/2019 18:19

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, criticou nesta segunda-feira (15) os esforços da União Europeia (UE) para salvar o acordo nuclear iraniano, e afirmou que alguns não perceberão o perigo até que os mísseis iranianos "caiam em solo europeu".

"Parece que há alguns na Europa que só acordarão quando os mísseis iranianos caírem em solo europeu, então será tarde demais", afirmou Netanyahu em vídeo publicado na sua conta no Twitter.

As declarações de Netanyahu surgem após os ministros das Relações Exteriores dos países membros da UE se reunirem nesta segunda-feira em Bruxelas, dispostos a salvar o acordo assinado em 2015 sobre o programa nuclear iraniano.

O acordo está "em mau estado, mas espero que a sua última hora não tenha chegado", assegurou a responsável pela diplomacia europeia, Federica Mogherini. A diplomata pediu ao Irã "que respeite seus compromissos".

O chanceler britânico, Jeremy Hunt, afirmou que "o acordo ainda não está morto" e que a UE quer dar ao Irã "uma possibilidade de reverter suas medidas que não estão de acordo com seus compromissos".

Em maio de 2018, os Estados Unidos abandonaram o acordo assinado entre o Irã e as grandes potências em 2015, e restabeleceu duras sanções contra Teerã. Um ano depois, em resposta a essa decisão, o Irã decidiu parar de limitar suas reservas de água pesada e de urânio enriquecido.

O governo iraniano anunciou no início de julho que tinha começado a enriquecer urânio a um nível proibido pelo acordo, uma decisão que Netanyahu classificou de desenvolvimento "muito perigoso". O primeiro-ministro israelense pediu às grandes potências a impor "duras sanções" contra o Irã.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade