Publicidade

Estado de Minas

Nova sexta-feira de protestos na Argélia apesar de advertências do Exército


postado em 21/06/2019 17:19

Os argelinos se manifestaram maciçamente na 18ª sexta-feira marcada pelos protestos e ao final de uma semana marcada por novas declarações do chefe do Estado-Maior do Exército, que provocaram inquietudes sobre uma "destruição de instituições" e sobre o separatismo.

Dezenas de prisões nos arredores do emblemático edifício da Grande Porte de Alger, um ponto de concentração de manifestações semanais contra o regime, não impediram que a multidão se reunisse.

Ao lado das bandeiras argelinas, onipresentes nas manifestações desde 22 de fevereiro, surgiram muitas bandeiras berberes, apesar das ameaças do chefe do Estado-Maior do Exército, general Ahmed Gaid Salah, que advertiu nesta quarta-feira que apenas as cores nacionais seriam autorizadas nos atos.

Gaid Salah, que assumiu o poder com a renúncia do presidente Abdelaziz Buteflika em 2 de abril, não citou abertamente a bandeira da minoria berbere, mas a alusão ficou evidente. As reivindicações dessa comunidade, há muito ignoradas e reprimidas pelas autoridades, são uma questão muito delicada na Argélia.

Foram registradas manifestações em outras cidades do país, como Orã, Constantina e Annaba, assim como em Tizi-Uzu, em Kabilia (norte).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade