Publicidade

Estado de Minas

Irã: sanções dos EUA são 'prova' de discurso 'vazio'


postado em 08/06/2019 11:06

O Irã afirmou, neste sábado (8), que as novas sanções americanas contra um grupo petroquímico iraniano são "a prova" do discurso "vazio" dos Estados Unidos, já que pouco antes Washington dizia estar disposta a negociar.

"É necessária apenas uma semana para que fique provado que a afirmação do presidente americano (Donald Trump) de que estava disposto a negociar com o Irã era vazia" de conteúdo, afirmou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano, Abas Musavi, em um comunicado.

A declaração foi dada um dia depois de os Estados Unidos anunciarem sanções econômicas contra a Persian Gulf Petrochemical Industries Company (PGPIC).

Teerã considera estas novas sanções como mais um exemplo de "terrorismo econômico" e de "hostilidade" dos Estados Unidos para com seu país, afirmou Musavi, segundo o qual "a política americana de máxima pressão" está "vocacionada ao fracasso".

Na sexta-feira, o Departamento americano do Tesouro anunciou ter imposto sanções à PGPIC, acusando-a de prestar "apoio financeiro" aos Guardiães da Revolução, o exército ideológico da República Islâmica do Irã.

Também neste sábado, o ministro iraniano do Petróleo, Bijan Namdar Zanganeh, afirmou que o país continua exportando petróleo, apesar das sanções americanas.

"Temos vendas não oficiais, ou não convencionais, que são secretas, já que, se forem conhecidas, os Estados Unidos vão suspendê-las imediatamente", declarou Zanganeh em entrevista a um veículo da imprensa iraniana e divulgada pela agência do Ministério do Petróleo, a Shana.

Zanganeh se recusou a dar detalhes sobre as vendas da commodity iraniana, insistindo em que não dará qualquer número até que "as sanções sejam suspensas".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade