Publicidade

Estado de Minas

Casa Branca estabelece condições para México evitar tarifas


postado em 05/06/2019 15:37

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse nesta quarta-feira que o México quer um acordo para evitar as tarifas que pretende impor se o fluxo de migrantes não for interrompido, enquanto a Casa Branca estabelece condições antes de negociações cruciais entre os dois países.

Da Irlanda, Trump disse a repórteres que o vice-presidente Mike Pence conduzirá os diálogos com a delegação mexicana, liderada pelo ministro das Relações Exteriores, Marcelo Ebrard, que acontecerá às 15h locais (16h no horário de Brasília) na Casa Branca para analisar a ameaça tarifária.

"O México quer chegar a um acordo", disse Trump. "Eles enviaram suas melhores pessoas para tentar", afirmou.

Trump acrescentou que a economia mexicana será afetada se o governo do presidente Andrés Manuel López Obrador não fizer algo para deter os migrantes e as "drogas" que atingem a fronteira sul dos Estados Unidos.

"Eu acho que o México tem que fazer mais, e se isso não acontecer, as tarifas vão continuar e, se elas subirem, as empresas retornarão aos Estados Unidos. É muito simples", afirmou.

Nesta quarta-feira, horas antes de ambos os governos iniciarem formalmente o diálogo sobre o assunto, o consultor econômico da Casa Branca, Peter Navarro, impôs três condições aos negociadores mexicanos.

Primeiro, eles podem impedir que os migrantes viajem para os Estados Unidos em busca de asilo, admitindo-os para o México, disse ele à CNN. "Eles podem se comprometer a levar todos os requerentes de asilo e, em seguida, aplicar as leis mexicanas, que são muito mais fortes do que as nossas", explicou.

Segundo, disse Navarro, o México deve monitorar com mais firmeza sua fronteira sul com a Guatemala para impedir a entrada de migrantes. "A fronteira sul que o México tem com a Guatemala está a apenas 240 quilômetros de distância e, além disso, tem postos de controle naturais e artificiais que são realmente fáceis de monitorar", disse.

Por fim, exigiu que o México combata a corrupção de seus agentes nos postos fronteiriços.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade