Publicidade

Estado de Minas

Cientistas comprovam 'solidariedade' de pinguins africanos com aves marinhas

Imagens gravadas na África do Sul mostram que pinguins mergulham a até 60 metros de profundidade para atrair cardumes à superfície, onde são capturados pelas aves


postado em 05/06/2019 08:10 / atualizado em 05/06/2019 08:50

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)

Os pinguins africanos provaram ser os melhores amigos das aves marinhas ao levarem à superfície cardumes de peixes que permitem que os pássaros se alimentem, de acordo com um vídeo publicado nesta quarta-feira por cientistas.


Os pesquisadores equiparam um grupo de pinguins com câmeras para observar como interagiam com biguás e pardelas na reserva de Stony Point, na África do Sul.


Um dos vídeos mostra uma dessas aves submergindo a mais de 60 metros de profundidade até encontrar um cardume de anchovas. Juntamente com outros pinguins, começa a caçar os peixes, aproximando-os da superfície. Enquanto comem vários exemplares, uma pardela também aproveita o banquete.


"Isso confirma o que os pescadores e os cientistas já haviam observado a partir de embarcações: as aves marinhas como pinguins conduzem suas presas à superfície para melhor saboreá-las e isso permite que os peixes fiquem mais acessíveis a outras aves marinhas que não descem às profundezas", declarou à AFP Alistair McInnes, um dos autores do estudo, publicado na revista Royal Society Open Science.


O experimento foi realizado entre 2015 e 2018. No total, os pesquisadores do Departamento de Zoologia da Universidade Nelson Mandela de Summerstrand gravaram 31 horas com 20 pinguins africanos.


Presente principalmente na África do Sul e na Namíbia, este pinguim (Spheniscus demersus) de costas e bico pretos vive em colônias. Pode medir entre 60 e 70 cm e pesar entre 2 e 4 kg. Suas presas favoritas são sardinhas e anchovas.


Faz parte das espécies ameaçadas incluídas na lista vermelha estabelecida pela União Internacional para a Conservação da Natureza.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade