Publicidade

Estado de Minas

México está confiante em negociação com EUA para evitar tarifa


postado em 04/06/2019 11:19

O ministro mexicano das Relações Exteriores, Marcelo Ebrard, disse nesta terça-feira (4) que há 80% de possibilidade de negociar com o governo dos EUA e evitar as tarifas que o presidente Donald Trump prevê impor a todas as importações mexicanas a partir da próxima semana.

"Acredito que temos 80% (de chance) em favor de uma negociação, 20% talvez de que seja difícil chegar a um acordo neste momento", afirmou Ebrard, em entrevista coletiva em Washington.

Trump surpreendeu na última quinta-feira, ao anunciar que os Estados Unidos aplicarão, a partir de 10 de junho, tarifas de 5% a todos os bens provenientes do México. O percentual aumentará progressivamente até chegar a 25%, a partir de 1º de outubro, se seu vizinho do sul não contiver o crescente fluxo de imigrantes em situação ilegal que chegam à fronteira americana. A maioria é centro-americana, procedente de Guatemala, Honduras e El Salvador.

"Pelo que vimos nestes dias de trabalho, acho que sim, vamos encontrar uma negociação. Portanto, acredito eu, seria possível evitar a imposição das tarifas", acrescentou Ebrard.

O chanceler mexicano lidera a delegação enviada na sexta-feira a Washington pelo presidente Andrés Manuel López Obrador (AMLO) para dialogar com funcionários americanos sobre como reduzir o número de migrantes e evitar as tarifas. Segundo especialistas, a medida seria prejudicial para ambos os países.

Ebrard deve se encontrar amanhã com o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, em uma reunião que "provavelmente será longa", mas frutífera, disse o próprio nesta terça.

"Partindo da base de que o México já está fazendo um esforço muito grande, compartilhamos a preocupação e pensamos que tem solução o aumento muito grande do fluxo migratório que estamos vendo", acrescentou Ebrard.

Ele também informou que hoje o subsecretário mexicano para a América do Norte, Jesús Seade, vai-se reunir com o representante comercial americano, Bob Lighthizer. O USTR também deve participar da reunião com Pompeo.

Ambos negociaram o USMCA (sigla em inglês), o novo acordo de livre-comércio da América do Norte que substituirá o Nafta e que está em processo de ratificação nos Congressos dos Estados Unidos, do México e do Canadá. Esse trâmite pode ser afetado pela imposição de tarifas.

O México diz estar confiante em encontrar "um ponto de aproximação" com os Estados Unidos, mas também está "preparado" para um cenário de não negociação, garantiu Ebrard, sem antecipar os planos do governo de AMLO se isso acontecer.

"Nós temos de administrar uma postura digna e eficaz, e é isso que estamos buscando: dignidade com eficácia", frisou.


Publicidade