Publicidade

Estado de Minas

Cristina Kirchner encara julgamento por corrupção em meio à campanha eleitoral


postado em 21/05/2019 09:25

Ex-presidente, senadora e candidata a vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner enfrenta nesta terça-feira a primeira audiência de um julgamento por suposta corrupção que será realizada paralelamente à campanha para as eleições de outubro próximo.

Kirchner, uma advogada de 66 anos que governou a Argentina em dois períodos (2007-2011 e 2011-2015), enfrenta doze processos por suposta corrupção e cinco pedidos de prisão preventiva, dos quais ela está isenta devido a sua imunidade parlamentar.

O processo que começa nesta terça-feira diz respeito ao caso conhecido como Vialidad e é o primeiro que vai a julgamento, devendo se estender por aproximadamente um ano, com audiências semanais.

A ex-presidente é obrigada a se apresentar nesta primeira audiência, mas depois poderá ser representada por seus advogados.

O caso diz respeito ao suposto favorecimento ao empresário Lázaro Báez, ligado à família Kirchner, na concessão de licitações de obras públicas.

Segundo o processo, muitas das obras se situavam na província de Santa Cruz (sul), de onde era oriundo seu marido, o já falecido ex-presidente Néstor Kirchner, e foram pagas, mas não terminadas, além de terem sido superfaturadas.

Além do próprio Lázaro Báez, o ex-ministro do Planejamento, Julio de Vido, e o ex-secretário de Obras Públicas, José López, ambos detidos, também são acusados neste caso.

- Cortina de fumaça -

Kirchner, que no fim de semana surpreendeu os argentinos com o anúncio de que vai optar pela vice-presidência em uma fórmula liderada por seu ex-chefe de gabinete Alberto Fernandez, argumenta que os processos judiciais contra ela são "perseguição política" que serve como distração para a grave crise econômica do país sul-americano.

"Claramente, não se trata de fazer justiça, apenas montar uma nova cortina de fumaça que visa a distrair argentinos e argentinas - cada vez com menos sucesso - da situação dramática que nosso país e nosso povo estão experimentando", disse ela na terça-feira em mensagem através de redes sociais.

- Outras causas -

Entre os processos, a acusação mais séria que pesa sobre Kirchner é a mencionada no caso conhecido como "Os cadernos de corrupção", ainda em fase de investigação, que trata de supostos subornos a empresários no valor de mais de 160 milhões de dólares em pastas cheias de dinheiro.

Por essa razão, suas três residências foram revistadas no ano passado: uma no departamento em Buenos Aires e duas casas na região da Patagônia.

Kirchner também aguarda a data de mais um julgamento em que é acusada de lavagem de dinheiro junto a seus filhos Máximo, deputado, e Florencia, cineasta.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade