Publicidade

Estado de Minas

Macron quer 'Convenção Fundadora' da UE após eleições


postado em 20/05/2019 21:25

O presidente francês, Emmanuel Macron, defendeu nesta segunda-feira a celebração de uma "convenção fundadora europeia" após as eleições desta semana para o Parlamento Europeu, e declarou ver "pela primeira vez uma conivência entre nacionalistas e interesses estrangeiros" para desmantelar o bloco.

"Quero uma convenção fundadora europeia após as eleições. Que os líderes de Estado e de Governo com o novo Executivo e os responsáveis do Parlamento, junto aos cidadãos, se concentrem em definir a estratégia da Europa para os próximos cinco anos, incluindo as mudanças de tratados que querem alcançar", declarou o chefe de Estado francês em entrevista concedida à imprensa regional.

As eleições entre 23 e 26 de maio na União Europeia (UE) "são as mais importantes desde 1979 [quando a Eurocâmara foi eleita por voto universal pela primeira vez] porque a União enfrenta um risco existencial", avaliou Macron.

O presidente francês afirmou que vê "pela primeira vez uma conivência entre os nacionalistas e os interesses estrangeiros, que têm por objetivo desmantelar a Europa", e citou a influência de Steve Bannon, ex-conselheiro de Donald Trump, e do financiamento russo aos "partidos radicais".

"Não misturo os Estados com determinados indivíduos, apesar dos grupos de influência americanos e os oligarcas russos mostrarem aproximação com certos governos".

A extrema direita 'eurofóbica', os conservadores eurocéticos e os populistas esperam aumentar sua representação nas eleições desta semana, que renovarão as 751 cadeiras da Eurocâmara.

Segundo as pesquisas, estes partidos elegerão 173 eurodeputados, contra 154 em 2014.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade