Publicidade

Estado de Minas

Exército e manifestantes retomam diálogo no Sudão


postado em 20/05/2019 19:07

O Exército e os representantes dos manifestantes no Sudão retomaram o diálogo na noite desta segunda-feira, após divergências sobre a presidência e a composição do Conselho Soberano que deverá garantir a transição política, mais de um mês após a queda do presidente Omar al Bashir.

As conversações entre o Conselho Militar, que sucedeu Bashir, e a Aliança para a Liberdade e a Mudança (ALC), que lidera os protestos, foram retomadas às 21H30 (16H30 Brasília).

Na véspera, o porta-voz dos militares, general Shamseddin Kabbashi, manifestou em entrevista coletiva "a esperança de se chegar a um acordo definitivo".

Cada uma das partes deseja que um de seus membros presida o Conselho Soberano, instituição-chave da transição que deve substituir o Conselho Militar por um período de três anos.

Líder do Sudão por mais de 30 anos, Omar al Bashir foi destituído e preso pelo Exército no dia 11 de abril, por pressão do movimento iniciado em 19 de dezembro com a decisão das autoridades de triplicar o preço do pão, em meio a uma profunda crise econômica.

"Insistimos em que o Conselho Soberano seja presidido por um civil e integrado, principalmente, por membros civis", declarou à AFP Satea al Haj, membro da ALC.

Já o Conselho Militar, no poder, defende uma maior presença dos militares diante das "ameaças à segurança".

Militares e manifestantes concordam em alguns pontos, como a duração do período de transição, de três anos, e a criação de um Parlamento integrado por 300 membros, dois terços dos quais procedentes da ALC.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade