Publicidade

Estado de Minas

EUA chegam a acordo com Rússia e China para retirada de tropas do Afeganistão


postado em 26/04/2019 19:07

O governo dos Estados Unidos anunciou nesta sexta-feira que estava de acordo com a Rússia e China em um ponto chave das negociações de paz no Afeganistão: a retirada das tropas estrangeiras do país.

Zalmay Jalilzad, emissário americano para o Afeganistão, se reuniu com representantes chineses e russos em Moscou para para chegar a um consenso sobre o final desta guerra, a mais longa da história com a participação dos EUA.

Um comunicado emitido pelas três grandes potências, que volta e meia discordam sobre temas internacionais, pede um processo de paz "inclusivo e dirigido pelo Afeganistão".

"As três partes pedem uma retirada organizada e responsável das tropas estrangeiras do Afeganistão", destaca o comunicado da diplomacia americana.

Segundo a mesma fonte, os talibãs "se comprometeram" a combater a organização jihadista Estado Islâmico (EI) e a cortar seus vínculos com a Al-Qaeda.

Os Estados Unidos iniciaram no ano passado conversações com os rebeldes islâmicos, que se negam a falar com o governo afegão, acusado de ser um "marionete" sob controle americano.

Os talibãs prometeram "assegurar que as zonas sob seu controle não serão utilizados para ameaçar outro país", segundo comunicado do departamento de Estado, que pede os rebeldes islâmicos que impeçam "qualquer financiamento, contratação ou treinamento de terroristas".

Rússia e China acompanham de perto a situação no Afeganistão, onde cerca de 14 mil soldados soviéticos morreram entre 1979 e 1989 em um conflito contra mujahedines apoiados pelos Estados Unidos.

China ampliou seu envolvimento militar e econômico no Afeganistão, preocupada com a possibilidade dos combatentes chegarem até sua região de Xinjiang (noroeste), de maioria muçulmana e que foi cenário de sangrentos atentados no passado.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade