Publicidade

Estado de Minas INTERNACIONAL

Paralisação mostrou o que está acontecendo com a fronteira, diz Trump


postado em 12/02/2019 02:27

Durante comício em El Paso, no Texas, nesta segunda-feira, 11, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, minimizou os potenciais avanços na negociação entre congressistas para evitar uma segunda paralisação parcial da máquina pública federal americana neste ano.

A uma plateia de milhares de apoiadores, Trump afirmou que foi avisado dos progressos no acordo orçamentário, mas preferiu deixar a discussão de lado momentaneamente para poder discursar ao povo do Texas. "Eu tive uma escolha. Eu poderia ter ficado lá fora e escutado, ou eu poderia vir até o povo de El Paso e Texas. Eu escolhi vocês", disse.

Trump frisou ainda que a paralisação parcial do governo ocorrida entre o fim do ano passado e janeiro deste ano mostrou ao país, aos políticos e ao mundo "o que diabos está acontecendo com a fronteira".

Na noite desta segunda, democratas e republicanos chegaram a um acordo prévio para aprovar o orçamento federal e evitar uma nova paralisação. O pacto prevê a destinação de US$ 1,375 bilhões para a construção de barreiras verticais de aço - e não um muro, como deseja Trump - em um trecho de 88 quilômetros da fronteira com o México. O valor é bem inferior aos US$ 5,7 bilhões que o presidente americano demanda para a construção de um muro de mais de 320 quilômetros na divisa.

Em seu discurso em El Paso, Trump atacou os democratas, afirmando que eles lutam mais pelos imigrantes ilegais nos EUA do que pelo povo americano, e desdenhou da proposta abraçada por uma ala democrata para contenção do aquecimento global.

Do outro lado da rua onde o presidente americano discursava, o democrata Beto O'Rourke falava a outras milhares de pessoas que chegou a hora de "mostrar ao país que não há nada a temer quando se trata da fronteira EUA-México". O'Rourke, que considera ingressar na corrida presidencial de 2020, afirmou ainda que El Paso é "uma das cidades mais seguras da América não por causa dos muros, mas apesar deles".


Publicidade