Publicidade

Estado de Minas

Justiça argentina rejeita denúncia contra Cristina Kirchner


postado em 09/11/2018 22:23

A justiça argentina rejeitou nesta sexta-feira, por falta de provas, a denúncia contra a ex-presidente Cristina Kirchner no caso de lavagem de dinheiro durante seu governo, informou uma fonte judicial.

O juiz federal Sebastián Casanello avaliou que não existem provas suficientes para julgar Kirchner no caso, que envolve cerca de 20 pessoas, entre ex-funcionários e empresários.

"A atribuição de responsabilidade penal como consequência de um processo que respeita a Constituição e as leis se baseia na evidência", destacou o juiz em sua decisão.

De qualquer maneira, o juiz destacou que "deve prosseguir a investigação para determinar a concreta participação de Cristina Fernández (de Kirchner) na formação da estrutura cujo grosso será levado a julgamento".

Entre os que serão julgados estão o empresário da construção Lázaro Báez, ligado à Kirchner e beneficiário de contratos de obras públicas durante os governos kirchneristas.

Durante a fase de instrução, a justiça apreendeu dinheiro, carros de luxo, joias e outros bens avaliados em 3 bilhões de pesos (80 milhões de dólares).

A empresa de Báez venceu ao menos 50 concorrências para obras públicas durante os governos de Néstor e Cristina Kirchner, a maioria para obras de estradas na província de Santa Cruz (sul).

Carlos Beraldi, defensor da ex-presidente, declarou que "o juiz não encontrou qualquer elemento para estabelecer a responsabilidade" de Cristina Kirchner.

"Queriam de qualquer maneira vincular Kirchner nesta investigação".

Cristina Kirchner também é investigada pelo escândalo conhecido como "os cadernos da corrupção", envolvendo subornos pagos a funcionários por grandes empresas construtoras.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade