...
Publicidade

Estado de Minas ATENTADO

Polícia identifica atirador e vítimas de tiroteio em estúdio de ioga na Flórida

Crime resultou em três pessoas mortas e cinco feridas


postado em 03/11/2018 15:07 / atualizado em 03/11/2018 15:27

(foto: Mark Wallheiser/Getty Images/AFP)
(foto: Mark Wallheiser/Getty Images/AFP)

A polícia identificou como Scott Paul Beierle o homem que na sexta-feira abriu fogo dentro de um estúdio de ioga em Tallahassee, capital da Flórida, e deixou três mortos e cinco feridos.

Scott Paul Beierle tirou a própria vida após cometer o ataque(foto: Reprodução/Internet)
Scott Paul Beierle tirou a própria vida após cometer o ataque (foto: Reprodução/Internet)
De acordo com o comunicado da polícia, um dos mortos foi o próprio Beierle, de 40 anos, que aparentemente tirou a própria vida com um tiro após cometer o ataque às 17h30 (18h30 em Brasília), além de Nancy Van Vessem, de 61, e Maura Binkley, 21, que morreram depois em um hospital local.

Segundo a polícia de Tallahassee, seis pessoas sofreram ferimentos de bala, duas delas perderam a vida, e uma sétima foi golpeada com a arma de fogo.

Policiais em frente ao estúdio de ioga atacado por atirador na Flórida(foto: Mark Wallheiser/Getty Images/AFP)
Policiais em frente ao estúdio de ioga atacado por atirador na Flórida (foto: Mark Wallheiser/Getty Images/AFP)
"Duas vítimas estão em condição estável e três receberam alta de um hospital local", informou nesta manhã a polícia, que até o momento ouviu 40 pessoas e desconhece as motivações do fato.

De acordo com o jornal local "Tallahassee Democrat", Van Vessem era profissional da saúde e professora na Universidade do Estado da Flórida, enquanto Binkley era uma estudante da mesma instituição de ensino.

"Toda a evidência indica que se trata do ato de uma só pessoa" e que atualmente não há "ameaça imediata" na região, disse na noite de sexta-feira o chefe da polícia de Tallahassee, Michael DeLeo.

Por causa do ataque no estabelecimento "Hot Ioga", o prefeito da cidade, o democrata Andrew Gillum, suspendeu de maneira momentânea a campanha eleitoral e destacou a "rápida resposta" das forças de segurança locais.

"Nenhum ato de violência armada é aceitável", escreveu Gillum no Twitter, pouco antes de retornar de Miami para a capital da Flórida, onde foi ao hospital para visitar dois feridos do tiroteio.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade