Publicidade

Estado de Minas

Time's Up tem primeira CEO, saída do basquete profissional feminino


postado em 02/10/2018 19:48

A organização de combate ao assédio sexual e pela igualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho, Time's Up, criada após a revelação do caso Weinstein, tem agora uma diretora-geral, Lisa Borders, saída da liga feminina de basquete dos Estados Unidos, a WNBA.

Lisa Borders, de 60 anos e nascida em Atlanta, ocupou a presidência da WNBA em fevereiro de 2016, depois de presidir o Conselho Municipal de Atlanta e fazer uma passagem pela Coca-Cola.

Também está comprometida com várias iniciativas e comissões que trabalham para melhorar a visibilidade das mulheres e o apoio entre as ligas femininas.

"Com as qualidades e a liderança de Lisa, a Time's Up está agora em uma posição ideal para realizar o que começamos: criar um futuro mais positivo para a vida nas empresas e uma rede mais poderosa para as mulheres no trabalho, onde quer que estejam", disse a produtora de televisão Shonda Rhimes, cofundadora da Time's Up e citada em um comunicado divulgado nesta terça-feira.

A Time's Up foi lançada oficialmente no início de 2018 por iniciativa de personalidades do mundo do cinema e da televisão, mas com a ideia de apoiar todas as mulheres a nível profissional.

Desde o seu lançamento, a organização usou seus fundos de apoio para ajudar 3.500 mulheres e homens que levam à frente processos judiciais, segundo o comunicado.

"Para interromper e reinventar o status quo arraigado, precisaremos de todas as mãos para alcançar e manter uma mudança duradoura", disse Lisa Borders, citada no comunicado.

"Estou animada com a ideia de dirigir a Time's Up", acrescentou, "e estou confiante de que juntos vamos mudar o paradigma do mundo corporativo".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade