Publicidade

Estado de Minas

EUA deixarão de cumprir por um terço meta de redução de gases do efeito estufa definida por Obama


postado em 12/09/2018 06:00

Estados Unidos não devem cumprir por um terço a meta de redução de gases do efeito estufa inicialmente estabelecida por Barack Obama no âmbito do Acordo de Paris até 2025, de acordo com um relatório divulgado por ocasião de uma reunião sobre o clima em San Francisco.

As emissões de gases do efeito estufa nos Estados Unidos deveriam registrar uma queda de 17% em 2025 na comparação com os níveis de 2005, quando o presidente Obama estabeleceu a meta de -26% como mínimo, segundo o estudo elaborado a pedido da coalizão de cidades, estados e empresas "America's Pledge", que mediu e contabilizou os compromissos ambientais dos atores não federais.

O estudo, financiado pela organização filantrópica do bilionário e ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg, foi publicado por ocasião da Cúpula Global de Ação Climática que começa nesta quarta-feira em San Francisco (Califórnia), com a presença de representantes de todo o mundo.

Mas os números mostram que a redução pode chegar a -21%, ou até -24%, em caso de revisão dos compromissos das entidades não federais.

"O objetivo de Obama sempre foi difícil de alcançar", explica Paul Bodnar, diretor do Rocky Mountain Institute, um dos criadores do modelo que permitiu obter as previsões.

Poucos meses depois de assumir o governo, o presidente americano Donald Trump anunciou a saída dos Estados Unidos do Acordo de Paris de 2015.

De modo paralelo iniciou o processo para anular as medidas de Obama sobre as centrais de carvão e sobre as normas de antipoluição para os veículos.

As decisões levaram diversos governadores e prefeitos democratas dos Estados Unidos, assim como algumas empresas, a atuar para manter os objetivos iniciais do Acordo de Paris.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade