Publicidade

Estado de Minas

Panamá pede para EUA respeita sua decisão de se aliar à China


postado em 09/09/2018 16:18

O presidente do Panamá, Juan Carlos Varela, exigiu respeito dos Estados Unidos neste domingo, após Washington retirar sua representação máxima do país centro-americano por sua decisão de estabelecer, em 2017, relações diplomáticas com a China.

"Respeitamos as decisões soberanas de outros países e, da mesma forma, pediremos sempre o mesmo respeito às nossas, para continuar fortalecendo as relações bilaterais", afirmou Varela em nota.

Os Estados Unidos retiraram, na sexta-feira, seus embaixadores da República Dominicana e de El Salvador, e sua encarregada de negócios no Panamá, Roxanne Cabral, após terem restabelecido suas relações com a China e rompido com Taiwan.

Washington convocou uma reunião com representantes desses países para analisar "as formas como os Estados Unidos podem apoiar instituições e economias fortes, independentes e democráticas em toda a América Central e o Caribe".

A medida foi tomada após Washington acusar Pequim, no mês passado, de desestabilizar as relações entre China e Taiwan ao tentar afastar Taipei de alguns de seus aliados no hemisfério ocidental. Os EUA são o maior aliado de Taiwan.

Os Estados Unidos e o Panamá "avançamos sempre unidos na luta contra o crime organizado, o narcotráfico e o terrorismo" e "compartilhamos valores de democracia e liberdade", mas como "país soberano tomaremos sempre nossas decisões" em "função dos interesses" do Panamá, indica Varela.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade