Publicidade

Estado de Minas

Cientistas afirmam que espécie de tubarão-martelo é onívora


postado em 04/09/2018 22:00

Acreditava-se que o tubarão-de-pala, um pequeno membro da família dos tubarões-martelo, era um carnívoro estrito que ocasionalmente ingeria vegetais por acidente.

Mas cientistas disseram nesta quarta-feira que o tubarão-de-pala segue uma dieta onívora em que as ervas marinhas desempenham um papel fundamental e nutricional.

Apesar de os pesquisadores saberem há muito tempo que o Sphyrna tiburo consome grandes quantidades de ervas marinhas, não se acreditava que ele absorvesse seus nutrientes.

"Até agora, a maioria das pessoas achava que o consumo de ervas marinhas era incidental quando esses tubarões estavam caçando caranguejos, etc., que vivem nas pradarias de ervas marinhas", disse à AFP a coautora Samantha Leigh, da Universidade da Califórnia, Irvine.

Leigh e uma equipe descobriram, no entanto, que as ervas marinhas podem formar até 62% da dieta dessa espécie, além dos crustáceos e moluscos.

"Os tubarões-de-pala não estão consumindo apenas uma grande quantidade de ervas marinhas, mas são realmente capazes de digerir e assimilar os nutrientes das ervas marinhas, o que os torna mais claramente onívoros", escreveram os pesquisadores na revista Proceedings of the Royal Society B.

"Esta é a primeira espécie de tubarão a ter uma estratégia digestiva onívora demonstrada", acrescentou.

Ao longo de três semanas, a equipe realizou uma série de testes em laboratório nos quais alimentaram os tubarões-de-pala com uma dieta formada 90% por ervas marinhas e 10% por lula.

Eles então analisaram quanto dos nutrientes os animais digeriam e quanto eles excretavam.

Nem todos os carnívoros conseguem digerir o material vegetal eficientemente, mas os tubarões alimentados com a dieta rica em ervas marinhas ganharam peso, segundo a equipe.

Leigh descreveu os resultados como "surpreendentes".

"Os tubarões-de-pala têm um sistema digestivo que é muito semelhante ao de outras espécies estreitamente relacionadas que são definitivamente estritamente carnívoras, então o fato de que eles estão agindo como onívoros é verdadeiramente notável!", disse.

Embora os tubarões não tenham uma mandíbula secundária que muitos herbívoros usam para mastigar plantas, eles têm estômagos altamente ácidos que podem ajudar na digestão, disseram os pesquisadores.

Com um número estimado de 4,9 milhões de tubarões-de-pala em águas americanas no Golfo do México e no Atlântico, os resultados têm implicações para o manejo e conservação de pradarias marinhas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade