Publicidade

Estado de Minas

Dezenas de detidos em Costa Rica e Panamá em operação contra tráfico de pessoas


postado em 04/09/2018 17:30

Cerca de 40 pessoas, entre elas funcionários migratórios, foram detidas nesta terça-feira (4) na Costa Rica e no Panamá em uma operação contra uma rede de tráfico de pessoas, em sua maioria chinesas, informaram as autoridades costa-riquenhas.

Na Costa Rica foram detidas 29 pessoas, incluindo 11 funcionários de Migração, e outras três ainda são buscadas, enquanto no Panamá há nove detidos na operação contra a rede, segundo a polícia e a Promotoria.

"Este grupo criminoso, que traficou cerca de 110 pessoas, incluindo três menores de idade, cobrava 22.000 dólares por pessoa", comentou em entrevista coletiva a promotora-geral costa-riquenha, Emilia Navas.

O diretor da polícia judicial costa-riquenha, Walter Espinoza, indicou que havia três pessoas de nacionalidade chinesa que coordenavam a rede de tráfico, e contavam com o apoio de falsificadores de documentos e equipe de Migração, que lhes ajudavam a facilitar a entrada dos estrangeiros.

Entre os detidos estão donos de estabelecimentos comerciais locais que recebiam os estrangeiros e os colocavam para trabalhar em condições "de vulnerabilidade".

Navas indicou que nas revistas feitas em diferentes partes da Costa Rica, as autoridades realizaram prisões e apreenderam armas de fogo, identidades falsas, equipamento tecnológico, veículos e "uma quantidade considerável de dinheiro" em dólares, colóns costa-riquenhos e iuanes chineses.

Espinoza indicou que quando as vítimas do tráfico de pessoas chegavam à Costa Rica, eram transferidas para o Panamá, de onde eram enviadas ao Canadá ou aos Estados Unidos.

Outras foram "vendidas" para estabelecimentos na Costa Rica, onde foram colocados para trabalhar em condições de escravidão.

"As vítimas são pessoas vulneráveis, das quais os traficantes aproveitaram para explorá-las", comentou a promotora Navas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade