Publicidade

Estado de Minas INTERNACIONAL

Professor crítico ao governo chinês desaparece após entrevista à rádio estatal


postado em 03/08/2018 12:30

O professor chinês aposentado Sum Wenguang concedia uma entrevista à rádio estatal americana Voice of America quando foi interrompido por policiais na quarta-feira, 1.º de agosto, e, dois dias depois, continua desaparecido. Conhecido por suas opiniões contrárias ao governo, Sun Wenguang era professor de física na Universidade de Shandong.

Ele falava ao vivo quando, segundo ele narrou, meia dúzia de policiais invadiram seu aparamento na cidade de Jinan, no leste do país. Foi possível ouvir sua voz dizendo "eu tenho minha liberdade de expressão" antes que a ligação terminasse.

Segundo o Voice of America, o professor não respondeu às tentativas de contatá-lo, apesar de fontes não identificadas pelo programa terem afirmado que Sun é mantido em um hotel militar de Jinan. Nenhuma ligação da reportagem ao escritório de publicidade da polícia de Jinan foi atendida.

Um funcionário que se recusou a se identificar, do Departamento de Publicidade do Comitê do Partido Comunista da Universidade de Shandong, disse que não estava ciente do caso.

Sun, de 84 anos, há muito tempo critica a liderança comunista da China, e mais recentemente protestou contra os gastos chineses em projetos de desenvolvimento no exterior, durante uma época em que muitos cidadãos do país continuam pobres.

As críticas foram vistas como endereçadas ao principal projeto do presidente do país e líder do partido, Xi Jinping, conhecido como "Belt and Road" (Um Cinturão, uma Estrada), que destinou cerca de US$ 1 trilhão para portos, usinas elétricas e outros projetos ligando a China a partes da Ásia, Europa, África e além. Recentemente, o projeto enfrentou dificuldades por conta das dívidas dos países envolvidos.

Antes de a entrevista ser interrompida, é possível ouvir o professor dizendo "jogando dinheiro por aí como se isso não fosse em benefício de nosso país e sociedade".

Sun foi um dos signatários da "Carta 08", um chamado para reforma democrática e cujo co-autor, Liu Xiaobo, ganhou o Nobel da Paz. Ele morreu em 2017, enquanto cumpria pena por subversão. As reações do governo às opiniões dele variaram desde uma sentença de sete anos de prisão até a perda de seu passaporte e corte de sua aposentadoria.

Em resposta à aparente detenção de Sun, o deputado americano Chris Smith, de New Jersey, divulgou um comunicado na quinta-feira 2, pedido a libertação imediata do professor. "Os povos chinês e americano devem continuar rumo ao dia em que alguém como o professor Sun possa abertamente compartilhar suas opiniões, por meio de uma imprensa livre, sem medo de represálias." Fonte: Associated Press.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade