Publicidade

Estado de Minas

Crescimento nos EUA vai acelerar, mas inflação pode surpreender, diz FMI


postado em 14/06/2018 15:00

O crescimento da economia dos Estados Unidos se acelerará, sustentado pelo estímulo orçamentário do governo Trump, de acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Mas a entidade alertou para a inflação, que pode surpreender, e o potencial impacto das medidas protecionistas, nesta quinta-feira (14).

Em seu exame anual da maior economia do mundo, o Fundo confirma uma projeção de crescimento de 2,9% neste ano e de 2,7% em 2019, o que marcará "o período mais longo de expansão" da história dos Estados Unidos.

O FMI alerta, contudo, para o risco "maior de uma inflação surpreendente" e do potencial impacto negativo das tarifas de importação.

Entre as boas notícias, o Fundo destacou que a maioria das economias do mundo poderão se beneficiar, a curto prazo, da expansão da economia americana.

O FMI destacou particularmente que os Estados Unidos parecem se aproximar do pleno emprego, já que atualmente o nível de desemprego está em 3,8%, seu nível mais baixo desde a década de 1960.

Contudo, o FMI alertou que existem preocupações claras com as consequências de uma eventual guerra comercial generalizada, e que essas preocupações crescem "mais e mais".

A diretora-geral do FMI, Christine Lagarde, alertou que uma guerra comercial "não tem vencedores, mas perdedores dos dois lados".

O governo do presidente Donald Trump decidiu revisar as relações comerciais dos Estados Unidos.

Como parte dessa nova política, impôs pesadas tarifas às importações de aço e alumínio, inclusive do México e do Canadá, dois aliados do Acordo de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta, na sigla em inglês).

De acordo com o FMI, a adoção de restrições comerciais "pode ter consequências negativas para a economia dos Estados Unidos e seus associados".

Por isso, a entidade fez um pedido para os países "resolverem suas discordâncias comerciais sem recorrer às tarifas aduaneiras e outras barreiras".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade