Publicidade

Estado de Minas

Libanês sem passaporte vive há 42 dias em aeroporto do Equador


postado em 11/06/2018 17:00

Um libanês que foi devolvido ao Equador depois de perder seu passaporte na Espanha está há 42 dias em uma sala de embarque do aeroporto de Guaiaquil (sudeste) ao não ser admitido pela Migração equatoriana, informou a Chancelaria do país nesta segunda-feira (11).

"É um caso de inadmissão porque ele não tem documentos e é responsabilidade da Migração (Ministério do Interior) o controle de fronteiras e, por isso, definir quem entra ou não" no território nacional, indicou uma fonte da Chancelaria.

Nizam Hussein Shalak, de 56 anos e que não fala espanhol, está há 42 dias "vivendo" no terminal internacional José Joaquín de Olmedo de Guaiaquil, revelou o jornal equatoriano El Universo.

O libanês, que, segundo a Chancelaria, não pediu proteção nem refúgio, precisa da documentação de seu país para deixar o Equador.

"O único órgão legal para emitir um documento de viagem é o consulado do Líbano em Bogotá, que não respondeu os pedidos insistentes para que faça isso", informou a fonte ministerial.

"Acompanhamos o caso de perto e estamos trabalhando com (o Ministério do) Interior a fim de conseguir que o Líbano estenda um documento de viagem a fim de que possa voltar a seu país".

A situação do estrangeiro se assemelha à de um refugiado iraniano que viveu no aeroporto de Paris entre 1988 e 2006 e foi retratada no filme "O Terminal", protagonizado por Tom Hanks, informou o jornal El Universo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade