Publicidade

Estado de Minas

Mediterrâneo pode se tornar 'mar de plástico', diz WWF


postado em 07/06/2018 20:00

O Mediterrâneo pode se tornar um "mar de plástico", alertou a ONG WWF nesta sexta-feira em um relatório, pedindo medidas para limpar um dos corpos de água mais afetados do mundo.

O WWF disse que o Mediterrâneo tinha níveis recordes de "microplásticos", pedaços de plástico com menos de cinco milímetros que podem ser encontrados cada vez mais na cadeia alimentar, representando uma ameaça à saúde humana.

"A concentração de microplásticos é quase quatro vezes maior" no Mediterrâneo em comparação com os mares abertos em outras partes do mundo, disse o relatório.

O problema, como em todo o mundo, é simplesmente que os plásticos se tornaram uma parte essencial de nossas vidas diárias, enquanto a reciclagem representa apenas um terço dos resíduos na Europa.

O plástico representa 95% do lixo que flutua no Mediterrâneo e em suas praias. A maioria deste material vem da Turquia e da Espanha, seguidos pela Itália, Egito e França, segundo o relatório.

Para resolver o problema, é necessário um acordo internacional para reduzir o despejo de lixo plástico e ajudar a limpar os mares, disse o WWF.

Todos os países do Mediterrâneo devem aumentar a reciclagem, proibir os plásticos descartáveis, como sacolas e garrafas, e descontinuar o uso de microplásticos em detergentes ou cosméticos até 2025.

A própria indústria de plásticos deve desenvolver produtos recicláveis e compostáveis feitos a partir de matérias-primas renováveis, e não produtos químicos derivados do petróleo.

Os indivíduos também têm seu papel a desempenhar, fazendo escolhas pessoais como usar pentes ou utensílios de cozinha feitos de madeira, em vez de plástico, disse o WWF.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade