Publicidade

Estado de Minas

Reunião Trump/Kim marcada para 12 de junho em Singapura


postado em 04/06/2018 17:36

A Casa Branca anunciou nesta segunda-feira (4) que a primeira reunião entre o presidente americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong Un, acontecerá em Singapura às 09h00 locais de terça-feira, 12 de junho (22h00 do dia 11, em Brasília).

"Estamos ativamente preparados para a cúpula de 12 de junho entre o presidente (Trump) e o líder da Coreia do Norte", declarou a porta-voz do Executivo americano, Sarah Sanders.

"Sentimos que as coisas estão andando para frente e que foi feito um bom progresso".

Sanders disse que a "equipe avançada" da Casa Branca, que conta com pessoal militar, de segurança e técnico, já está em solo no país do sudeste asiático.

Eles estão "finalizando os preparativos e permanecerão lá até que a reunião comece", acrescentou.

Sanders assinalou que Trump está recebendo informações diárias sobre a Coreia do Norte na preparação do encontro histórico.

"Posso dizer que o presidente vem recebendo informações diárias sobre a Coreia do Norte de sua equipe de segurança nacional", afirmou Sanders.

Especialistas expressaram a preocupação de que, embora Trump diga que é o maior negociador do mundo, ele sabe pouco sobre a Coreia do Norte, controle de armas e diplomacia.

Espera-se que a cúpula se concentre nos esforços dos Estados Unidos de fazer com que a Coreia do Norte abandone seu programa nuclear.

Acredita-se que o regime norte-coreano tenha desenvolvido um dispositivo nuclear miniaturizado que poderia ser colocado em um míssil e atingir os Estados Unidos.

Washington considerou a ação inaceitável e exigiu que a Coreia do Norte entrasse em uma desnuclearização completa e verificável.

A poucos dias da reunião, ainda não está claro se Pyongyang está disposto a dar esse passo, ou se está usando a promessa de negociações como uma forma de facilitar a campanha de "pressão máxima" de Trump.

O presidente americano declarou na semana passada que não quer mais usar esse termo e indicou que está disposto a embarcar em uma longa série de conversas para diminuir a pressão sobre o regime.

"Acho que será um processo", disse depois de receber o oficial de alto escalão Kim Yong Chol na Casa Branca.

"Não, eu nunca disse que seria em uma reunião. Acho que será um processo. Mas as relações estão sendo construídas, e isso é muito positivo".

Trump também disse que não haverá novas sanções enquanto as negociações estiverem acontecendo, embora a Casa Branca assinalou que as sanções econômicas existentes não serão removidas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade