Publicidade

Estado de Minas

'Grupo de Lima' diz que eleição na Venezuela é ilegítima e pede adiamento


postado em 15/05/2018 15:30

Brasília, 15 - O Brasil e mais 11 países que compõem o chamado "grupo de Lima" lançaram na noite de segunda-feira, 14, um apelo para que a Venezuela adie a eleição presidencial convocada para o próximo dia 20, por considerar que o processo é "ilegítimo" e "carece de credibilidade".

Os ministros das Finanças e das Relações Exteriores reuniram-se na Cidade do México. O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, e funcionários do Departamento de Tesouro americano participaram do encontro por videoconferência.

Na avaliação do grupo, as eleições não devem ser realizadas porque "foram convocadas por uma autoridade ilegítima, sem a participação de todos os atores políticos venezuelanos, sem observação internacional independente e sem as garantias necessárias para um processo livre, justo, transparente e democrático".

Os países participantes discutiram também ações que poderão ser tomadas de forma coletiva ou individual após o dia 20 nos campos diplomático, econômico, financeiro e humanitário. E se comprometeram a discutir outras iniciativas para "contribuir para o restabelecimento da institucionalidade democrática, o respeito aos direitos humanos e o pleno respeito ao estado de direito naquele país irmão".

Participaram da reunião representantes de Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Peru e Santa Lúcia. O encontro contou ainda com representantes da Espanha e dos EUA.

(Lu Aiko Otta)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade