Publicidade

Estado de Minas

Rússia: Justiça adia para 15 de maio decisão sobre opositor Navalny


postado em 11/05/2018 08:48

Ameaçado de voltar para a prisão, o principal opositor russo, Alexei Navalny, obteve nesta sexta-feira (11) alguns dias de alívio por parte da Justiça, que o julga pela organização de manifestações no país dois dias antes da posse do presidente Vladimir Putin.

Depois de várias horas de audiência, o tribunal Tverskoi de Moscou decidiu adiar sua decisão para 15 de maio, para ouvir o testemunho de dois policiais.

"O que acontece no tribunal não tem nada a ver com a decisão. A decisão provavelmente já existe. Eles têm necessidade de se render a algumas medidas formais que não têm nada a ver com a questão do processo", declarou Navalny, após o anúncio do adiamento.

Detido em 5 de maio com mais de 1.500 manifestantes, o opositor chegou nesta sexta de manhã ao tribunal em Moscou para ser julgado por duas infrações: organização de uma manifestação não-autorizada e desobediência às forças da ordem.

Se considerado culpado, Alexei Navalny pode ser condenado a um mês de prisão por cada acusação, segundo a legislação russa.

Nos últimos meses, Navalny, de 41 anos, multiplicou as manifestações para pressionar o Kremlin, após ter sido declarado inelegível à eleição presidencial de 18 de março, vencida (sem surpresa) por Putin.

Sob a palavra de ordem "Ele não é mais nosso czar", o opositor fez um apelo, no último sábado, a seus partidários e simpatizantes para que fossem às ruas. Milhares de pessoas se manifestaram em várias cidades do país. Em Moscou, onde houve confrontos, a Polícia usou a força para dispersar a multidão.

Alexei Navalny foi detido pouco depois de sua chegada ao protesto em Moscou, aos gritos dos manifestantes, antes de ser solto.

Sua última detenção foi em final de fevereiro, depois de um protesto similar em janeiro. Nenhum processo foi instaurado contra ele.

"Nesses últimos tempos, as ações na Justiça por conta das manifestações são conduzidas de maneira estranha", afirmou ele hoje, dizendo não compreender a "estratégia" das autoridades russas.

Em outubro, Alexei Navalny foi condenado a 20 dias de detenção para convocar manifestações não autorizadas pelo governo.

Alexei Navalny conta com uma forte popularidade entre os jovens russos, e suas manifestações mobilizam, inclusive, vários adolescentes.

Segundo a organização OVD-Info, especializada no monitoramento das detenções, pelo menos 170 menores foram presos no último sábado na protesto anti-Kremlin.

Muito presente nas redes sociais, Alexei Navalny denunciou com vigor o bloqueio do aplicativo Telegram, ordenado em abril pelas autoridades russas. Em 30 de abril, o opositor reuniu cerca de oito mil pessoas para protestar contra o reforço da vigilância na Internet.

Autorizada pela prefeitura de Moscou, essa manifestação lhe deu a rara oportunidade de se dirigir à multidão. "Estão prontos para resistir?", lançou, acrescentando "Abaixo o czar!".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade