Publicidade

Estado de Minas

Ataque de dissidentes das Farc na Colômbia deixam milhares sem luz


postado em 10/05/2018 17:54

Duzentos mil moradores de um município colombiano carente na fronteira com o Equador estão sem luz devido a um atentado, o quarto em dois meses, atribuído a dissidências da guerrilha dissolvida das Farc.

O ataque, que aparentemente afetou duas torres de energia, ocorreu na noite de quarta-feira entre a rodovia que liga a cidade de Pasto e Tumaco, o município afetado e o que tem mais narcocultivos do país, disse o governador do departamento (estado) de Nariño, Camilo Romero, à W Radio.

Os informes das forças militares apontam como responsável a dissidência das Farc liderada por Walter Artízala, aliás Guacho, líder da Frente Oliver Sinisterra, acrescentou.

"É o quarto atentado em menos de 2 meses, o que nos mostra uma realidade que se torna cada vez mais difícil", escreveu o governador no Twitter.

Romero assegurou que até a manhã de quinta-feira a força pública não havia podido chegar à região, epicentro de ações militares contra os dissidentes, por condições climáticas adversas.

A Frente Oliver Sinisterra, que se afastou do pacto de paz com a guerrilha comunista, está na mira das autoridades depois que assumiu o sequestro e assassinato em abril de um grupo jornalístico do jornal El Comercio de Quito.

Além disso, essa estrutura rebelde é responsabilizada por uma inusitada onda de violência no Equador que deixou quatro soldados mortos e um casal de equatorianos sequestrada.

Em Nariño, o departamento da Colômbia com mais cultivos de coca, matéria-prima da cocaína, também operam narcotraficantes e o Exército de Libertação Nacional (ELN), que o governo reconhece como a última guerrilha do país após a assinatura da paz com as Farc em 2016.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade