Publicidade

Estado de Minas

Um imã morto e duas pessoas feridas em ataque em mesquita na África do Sul


postado em 10/05/2018 14:24

Homens armados com pistolas e facas decapitaram um imã e feriram gravemente duas pessoas em uma mesquita em Durban, na África do Sul, informaram fontes médicas à AFP.

"O imã foi decapitado e morreu há alguns minutos", explicou Paul Herbst, porta-voz do serviço de emergência IPPS.

Após a oração do meio-dia, três homens, apresentados pela imprensa local como egípcios, entraram em uma mesquita da cidade de Verulam e atacaram um imã, um fiel e um porteiro, de acordo com o serviço de emergência.

"Amarraram o imã, fizeram ele se ajoelhar e cortaram seu pescoço", indicou Paul Herbst.

Duas outras vítimas foram esfaqueadas, uma no abdômen e outra na axila, segundo a mesma fonte.

Os feridos estavam em estado grave nesta quinta-feira à noite.

Antes de fugirem em um carro, os agressores lançaram um coquetel molotov na mesquita que se incendiou parcialmente.

"Os bombeiros chegaram ao local e controlaram o incêndio", segundo Herbst.

O presidente da Rede Muçulmana da África do Sul, Faizel Suliman, recusou-se a especular sobre as causas do ataque.

"Não se sabe se a motivação é criminosa, se é uma história de amor que evoluiu mal ou se foi por uma razão religiosa", acrescentou. "É a primeira vez que algo assim acontece na África do Sul", disse ele.

A polícia também foi cautelosa sobre as razões do ataque.

"A causa do ataque ainda não é conhecida", disse à AFP um porta-voz da polícia, Nqobile Gwala, acrescentando que uma investigação foi iniciada.

"Já houve roubos em mesquitas, mas não um incidente desse tipo, durante o qual, aparentemente, nada foi roubado", ressaltou Prem Balram, porta-voz de uma empresa de segurança privada, a Reaction Unit South Africa, que interveio no local.

Prem Balram relatou que chegou à mesquita e encontrou duas vítimas cobertas de sangue na entrada da mesquita e que a terceira vítima tinha sido atacada dentro do prédio.

"Testemunhas disseram que os três atacantes (...) usaram facas. Uma faca foi deixada no local", afirmou Balram à AFP. "Foi um ataque repentino", acrescentou.

O mês sagrado do Ramadã deve começar na próxima semana. A África do Sul, que tem 1,5% de muçulmanos entre seus 53 milhões de habitantes, até agora não registrou ataques jihadistas, ao contrário de outros países africanos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade