Publicidade

Estado de Minas

Apple desiste de projeto de centro de dados na Irlanda após disputa com ecologistas


postado em 10/05/2018 10:30

A empresa americana Apple anunciou nesta quinta-feira que desistiu da ideia de construir um centro de dados na Irlanda, um investimento de 850 milhões de euros, após uma disputa com ecologistas que lutavam para preservar uma floresta.

"Há alguns anos, solicitamos permissão para construir um centro de dados em Athenry. Apesar de nossos grandes esforços, o atraso no processo de aprovação nos obrigou a fazer outros planos e não seguiremos adiante", afirma a empresa em um comunicado.

"Embora decepcionante, este revés não afetará nosso entusiasmo ante futuros projetos na Irlanda à medida que nosso negócio continuar crescendo", completa a nota.

A gigante do setor de tecnologia acreditava ter recebido a autorização definitiva para o projeto de um bilhão de dólares quando um juiz da Alta Corte rejeitou em outubro os recursos de três ativistas, preocupados com o impacto do centro, que ocuparia 166.000 metros quadrados no condado de Galway (oeste).

Mas os ativistas conseguiram em dezembro o direito a um pronunciamento da Suprema Corte sobre seus recursos, o que interrompeu novamente os planos da Apple.

A empresa disse que estava "orgulhosa das muitas contribuições" que realiza para a economia irlandesa e insistiu que estava "profundamente comprometida com os funcionários e clientes" irlandeses.

A Apple afirma ter investido no país mais de 550 milhões de euros nos últimos dois anos e criado mais de 25.000 empregos, 6.000 deles para irlandeses.

O projeto, anunciado há três anos, seria o maior investimento privado no oeste da Irlanda.

A Apple prometeu que o centro passaria despercebido na floresta, que repararia qualquer dano e usaria energias renováveis.

As autoridades concederam a autorização rapidamente, mas depois surgiram as objeções dos três ativistas locais, que alega que nunca foram feitas as avaliações apropriadas sobre o impacto ambiental e que o centro consumiria até 6% da produção nacional de energia elétrica.

O governo irlandês calculava que o projeto daria emprego para 300 pessoas durante a construção e para 150 após a inauguração do centro de dados.

A Apple tem sua principal unidade europeia na Irlanda, cujo governo faz todo o possível para agradar a empresa, incluindo deduções fiscais que a Comissão Europeia considera inapropriadas.

Atualmente, a Comissão exige que Dublin cobre 13 bilhões de euros da empresa.

Como o governo irlandês se nega a faze a cobrança, chegou a um acordo com a Apple para o depósito da quantia em uma conta bloqueada até que sejam esgotados os recursos legais apresentados por Dublin e pela empresa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade