Publicidade

Estado de Minas

Karl Lagerfeld diz que odeia Merkel e ameaça abandonar nacionalidade alemã


postado em 10/05/2018 10:12

O estilista Karl Lagerfeld, exasperado com a política migratória de Angela Merkel, que em sua opinião provocou a entrada do partido de extrema-direita AfD no Parlamento, ameaçou em uma entrevista renunciar à cidadania alemã "se isso continuar".

"Ela tinha que dizer que tínhamos que receber um milhão de migrantes ? (...) Temos que lembrar o passado da Alemanha. Odeio Merkel por ter esquecido isso", afirmou o diretor artístico da Chanel em entrevista à revista francesa Le Point.

Merkel "queria passar uma boa imagem, é o seu lado de filha de pastor que não pode suportar o mal que a Alemanha fez aos outros desde 1933. O paradoxo é que querer reparar esse mal, aproxima ele do poder. O AfD era inexistente e com uma única frase ela o fez existir, afugentando dois milhões de eleitores e enviando uma centena de neonazistas para o Parlamento", afimou Lagerfeld.

"Se isso continuar, vou abandonar a nacionalidade alemã. Não quero continuar fazendo parte do clube de neonazistas", acrescentou.

"Mas nem por isso quero me tornar francês. Não gosto de nações, sou cosmopolita", acrescentou o estilista nascido em Hamburgo, no norte da Alemanha.

No entanto, há alguns meses, Lagerfeld afirmou em outra entrevista a uma revista francesa que se sentia "completamente" alemão. "Está nos meus genes e não tenho nenhum problema com isso. Não é porque Merkel faz basteiras, que vou desistir de ser alemão", disse ela à revista Madame Figaro.

Em novembro, outras declarações sobre Merkel e os migrantes, que ele descreveu como "inimigos" dos judeus, provocaram polêmica. "Não é possível, mesmo que décadas se passem, matar milhões de judeus para fazer milhões de seus piores inimigos virem", declarou no canal de televisão francês C8.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade