Publicidade

Estado de Minas

Companhias aéreas mudam rotas com medo de ataque contra a Síria

Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA) fez alerta sobre uma possível ação militar


postado em 11/04/2018 11:59 / atualizado em 11/04/2018 12:07

Helicóptero Seahawk embarcado no navio de guerra Theodore Roosevelt(foto: Ted Aljibe/AFP)
Helicóptero Seahawk embarcado no navio de guerra Theodore Roosevelt (foto: Ted Aljibe/AFP)

A Air France e outras companhias aéreas europeias modificaram seus planos de voos nesta quarta-feira, depois que a Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA) alertou sobre um possível ataque militar à Síria nos próximos dias.

Um porta-voz da EASA informou à AFP que na terça-feira informou as companhias aéreas europeias sobre possíveis lançamentos de "mísseis terra-ar e/ou de cruzeiro nas próximas 72 horas", instando-as a tomar medidas de precaução.

"A Air France levou em conta as informações da EASA e modificou seus planos de voo para os destinos em questão, principalmente Beirute e Tel Aviv", indicou a companhia, ressaltando que monitora a situação.

A agência europeia citou o risco de "interrupção intermitente de equipamentos de radionavegação" para voos comerciais na região em caso de ação militar.

A maioria das companhias aéreas internacionais já não voam para Damasco desde o início da guerra civil síria há mais de sete anos.

Várias capitais ocidentais ponderam a possibilidade de bombardear a Síria em resposta a um suposto ataque químico que matou cerca de 40 pessoas no último sábado no enclave rebelde de Duma, perto de Damasco.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, alertou nesta quarta-feira que "os mísseis atingirão" a Síria.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade