Publicidade

Estado de Minas

Cientistas descobrem calendários incas no deserto do Atacama no Chile


postado em 09/04/2018 21:30

Um grupo de cientistas descobriu no meio do deserto chileno do Atacama, o mais árido do mundo, várias "saywas" ou calendários de pedra, estruturas que os incas utilizavam para identificar e prever eventos astronômicos.

Entre março e junho do ano passado, quatro saywas - construções de pedra de aproximadamente 1,20 metro de altura - foram descobertas a 4.200 metros de altitude no deserto do Atacama por cientistas do Museu de Arte Pré-Colombiana e astrônomos do ALMA, que puderam constatar que estavam perfeitamente alinhadas com o ponto de saída do sol no equinócio de outono e no solstício de inverno.

"Através da sombra que projetam sobre o solo durante a saída do sol, as saywas permitem identificar e prever equinócios, solstícios e outros eventos astronômicos", indicou nesta segunda-feira um comunicado do observatório ALMA (Atacama Large Millimeter/submillimeter Array), situado a 5.000 metros de altitude.

Após um ano de análises, os cientistas confirmaram a hipótese de que estas estruturas são marcadores astronômicos, estão alinhados com datas relevantes do calendário incaico e não se encontravam apenas em grandes cidades dessa civilização, como se acreditava até hoje.

Cusco, capital do império Inca e hoje uma cidade peruana turística, estava rodeada por estas saywas, que além de prever eventos astronômicos, mediam o tempo e eram importantíssimas para determinar as épocas de plantio e colheita.

Os astrônomos confirmaram, além disso, a incrível precisão com que podiam prever fenômenos naturais há mais de 500 anos.

"As saywas demonstram que os povos pré-colombianos lhe davam tanto ou mais preponderância ao céu que o que podemos apreciar hoje", afirma Juan Cortés, astrônomo do ALMA.

Estas estruturas foram encontradas graças a imagens de satélite observadas pela historiadora Cecilia Sanhueza, membro da equipe, durante uma pesquisa que realizava sobre o Caminho do Inca.

As saywas foram descritas em documentos do século XVI e XVIII, e esta é a primeira vez que são encontradas perto do Caminho do Inca, o sistema de rotas que uniam as cidades deste império.

"O interessante foi encontrar estas saywas astronômicas no Caminho do Inca, ou seja, fora das grandes cidades, em lugares despovoados sem movimento aparente", declarou Carlos Aldunate, diretor do Museu Pré-Colombiano e um dos arqueólogos da pesquisa.

Os especialistas investigam agora por que motivo os incas instalaram estas estruturas de pedra em um lugar desabitado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade