Publicidade

Estado de Minas

Militância promete 'vigília permanente' após prisão de Lula


postado em 08/04/2018 14:48

O ex-presidente Lula passou sua primeira noite preso em Curitiba, mas seus partidários prometeram manter a pressão com uma "vigília permanente" e apostam em uma rápida mudança de jurisprudência que permita soltá-lo.

"Curitiba será o centro da nossa ação política. Só sairemos daqui quando o Lula sair. Essa vigília é permanente", disse a presidente do Partido dos Trabalhadores, Glesi Hoffmann, diante da multidão de simpatizantes pouco depois de Lula chegar à sede da Polícia Federal (PF) no sábado à noite.

"[Lula] não é um preso comum, é um preso político com grande liderança nacional. É o primeiro preso político depois da reabertura democrática", acrescentou Hoffmann.

O estudante Christopher Ferreira, de 21 anos, passou a noite no acampamento montado ao lado do cerco policial, equipado com barracas e colchões infláveis. Um cartaz indicava o local onde a imprensa seria atendida.

"Passamos a noite aqui em resistência junto com todos os companheiros que estão prestando solidariedade ao presidente Lula", explicou Ferreira à AFP na manhã de domingo.

Segundo a Central Única dos Trabalhadores (CUT), o movimento espera a chegada de dezenas de caravanas de todas as partes do Brasil.

A prisão de Lula se deu em clima de tensão e enfrentamento entre simpatizantes e opositores do ex-presidente.

Enquanto seus adversários lançavam fogos de artifício e estouravam garrafas de espumante para comemorar, os manifestantes a favor de Lula foram dispersados pela polícia com gás lacrimogênio e balas de borracha, a poucos metros de distância.

A origem do incidente foi confusa, segundo jornalistas da AFP no lugar.

A PF afirma que os militantes tentaram invadir sua sede, forçando o portão enquanto Lula aterrissava no heliporto localizado no telhado do edifício, mas os manifestantes afirmam que a agressão partiu da polícia e foi injustificada.

Pelo menos oito pessoas ficaram levemente feridas, informaram os bombeiros.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade