Publicidade

Estado de Minas

Fachin nega pedido de habeas corpus de Lula, mas caso vai ao STF


postado em 09/02/2018 19:30

O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin negou, nesta sexta-feira (9), um pedido de habeas corpus preventivo da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O caso, contudo, foi enviado ao plenário do Supremo, onde a decisão final será votada por ele e os outros dez ministros.

Lula foi condenado em segunda instância, no mês passado, a 12 anos e 1 mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

A decisão de Fachin "dará ao Plenário do STF a oportunidade de aplicar a Constituição Federal, especialmente no que se refere à garantia da presunção de inocência até decisão final", segundo a defesa de Lula.

Esse recurso vai retomar a discussão, no STF, sobre quando executar penas de prisão. Em fevereiro de 2016, o Supremo considerou, por seis votos a cinco, que a partir de uma condenação em segunda instância, os sentenciados já podem ser presos. O tema, contudo, foi alvo de polêmicas entre os ministros desde então.

A defesa de Lula alega que a prisão a partir da segunda instância viola o princípio constitucional de presunção da inocência.

Se o STF mantiver sua decisão, Lula poderia ser preso nos próximos meses, após se esgotarem os recursos restantes dentro do TRF-4.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade